O Gabinete Gráfico do museu revela a estética punk e "do-it-yourself" das fanzines portuenses, desde os anos 80 até aos nossos dias.

 

"Materiais Inflamáveis: Culturas de Resistência, Médias Alternativos e Fanzines (1982-2021)" é o nome da segunda exposição proposta para o Gabinete Gráfico do Museu da Cidade, localizado na Biblioteca Municipal Almeida Garrett . Os curadores Paula Guerra e Pedro Quintela e o Núcleo de Programação do museu selecionaram um conjunto de fanzines (originais e réplicas), músicas, cartazes, folhetos e materiais videográficos produzidos por movimentos independentes e de experimentação artística da cidade. A mostra tem entrada livre e pode ser visitada até 15 de agosto. A exposição convida o público olhar para os média alternativos da cultura punk e underground que ecoam até aos dias de hoje.

 

Um curso breve com o mesmo nome, promovido em maio pelo Museu da Cidade, preparou terreno teórico fértil para esta temática. E está ainda prevista a realização de uma oficina de produção de fanzines, a 24 de julho.

 

Este é o segundo projeto do Gabinete Gráfico do museu, depois de "Panfletarismo" ter reunido duas centenas de cartazes e brochuras do arquivo do Partido Comunista Português, numa exposição que fez parte do programa comemorativo do centenário do partido.

 

Situado no foyer do Auditório da Biblioteca Municipal Almeida Garrett, este espaço do Museu da Cidade desenvolve um programa de exposições temporárias e oficinas dedicadas ao diverso ecossistema de produção gráfica existente no Porto. A "Materiais Inflamáveis" seguir-se-á "Errata", a 27 de agosto, que trará a público o trabalho omitido de mulheres designers durante o século XX.

 

O Gabinete Gráfico está aberto no horário da biblioteca: de segunda a sábado das 10h00 às 13h00 e das 15h00 às 18h00.

Mais artigos

  • Ágora - Cultura e Desporto do Porto


    Atualizado pela última vez 2021-07-13