É um ativo que poucos jardins no mundo conseguem apresentar. As 750 espécies diferentes de camélias do Jardim Botânico do Porto valeram-lhe o prémio "International Garden of Excellence", atribuído pela International Camellia Society. 


A distinção chegou no início desta semana e surge na sequência de uma candidatura apresentada pela direção do Jardim Botânico da Universidade do Porto, em conjunto com a Associação Portuguesa de Camélias.


A proposta foi avaliada por júri internacional, com cerca de 28 nacionalidades representadas, que, apesar do ecletismo, decidiu por unanimidade entregar o prémio ao Jardim Botânico do Porto.


"É o reconhecimento internacional de um símbolo de excelência, que entra agora no circuito de turismo de jardins", explica Eduarda Paz, bióloga e presidente da Associação Portuguesa de Camélias (APC), referindo ao JN que o concurso exige que os jardins tenham 200 espécies diferentes de camélias, no mínimo.


Estando algumas destas espécies ameaçadas, "plantá-las é uma forma de promover a biodiversidade e prevenir a sua extinção", sustenta a responsável.


Recorde-se que, no ano passado, o Jardim Botânico do Porto obteve, em conjunto com o Parque da Cidade e com o Jardim do Passeio Alegre, o galardão "Green Flag", título que reconhece a adoção dos mais elevados padrões de exigência na gestão e manutenção destes espaços verdes. Em Portugal foram os três primeiros parques e jardins a obter esta "bandeira verde", todos localizados no Porto.

Mais artigos

  • Câmara Municipal do Porto


    Atualizado pela última vez 2021-01-12