Um monólogo, pela primeira vez, ao fim de 45 anos de carreira? A partir de 11 de novembro, sobe a cena o espetáculo “Ninguém”, primeiro monólogo do ator António Capelo, diretor e fundador do Teatro do Bolhão, no Porto. O texto é de Zeferino Mota e percorre a vida do encenador e ator com uma carreira ímpar.

 

São 45 anos no teatro, no cinema e na televisão, a ser uma cara (re)conhecida por muitos na cidade e no país. O ator António Capelo estreia, ao fim de quatro décadas e meia de profissão, o seu primeiro monólogo no Auditório do Palácio do Bolhão | ACE Teatro do Bolhão, projeto do qual é diretor artístico e fundador.

 

O espetáculo tem o nome de “Ninguém” e, em palco, o ator vê surgir notas do seu percurso artístico, cruzadas com múltiplas vozes autobiográficas de profissionais que, ao longo dos últimos 200 anos, falam das inquietações, do modo como olham e são olhados, abordando os incontornáveis estereótipos associados a esta profissão (de ator, de encenador, de profissional das artes, de criador).


Este novo espetáculo, com texto de Zeferino Mota, surge assim como uma confissão que celebra o teatro em tempos incertos e conturbados, como uma forma de identidade e resistência numa sociedade (digital) em que todos são (ou procuram desesperadamente ser) “alguém”.

 

“Ninguém” conta com cenografia e figurinos de Cátia Barros, imagem de Luís Troufa, desenho de luz de Mário Bessa e conta com música do brasileiro André Abujamra, cantor, compositor e maestro que está nomeado para o Grammy Latino 2021 na categoria Melhor Álbum de Rock ou de Música Alternativa em Língua Portuguesa, com o trabalho “Emidoinã – Alma de Fogo”.

 

O espetáculo fica em cena de 11 a 28 de novembro, no Auditório do Teatro do Bolhão. Os bilhetes podem ser adquiridos na bilheteira ou online.

 

Mais informações em http://ace-tb.com/teatrobolhao/shows/ninguem/




Mais artigos

  • Ágora - Cultura e Desporto do Porto


    Atualizado pela última vez 2021-11-10