A programação oficial de Verão da Casa da Música, que inicia neste mês de junho e vai até meados de setembro, prevê a realização de 87 concertos, de diversos géneros musicais, com destaque para os da Orquestra Sinfónica, que, normalmente, juntam milhares de pessoas. É o regresso, depois de dois anos de ausência, por causa da pandemia, dos concertos dentro e fora da Casa.


António Jorge Pacheco, diretor artístico e de educação da Casa da Música, destaca, em declarações à Lusa, algumas datas: já nesta quarta, dia 8, o concerto do grupo de punk/rock feminista russo Pussy Riot e, no dia 28, faz a Festa de São João com a Banda Sinfónica Portuguesa e o concerto Chico da Tina, no Cais de Carga. No dia 29, há o espetáculo do artista brasileiro Milton Nascimento para ver.


Fados e novas tendências de rock


Em julho, os destaques vão para “os grandes concertos fora de portas”, desde logo, no dia 8, o concerto da Orquestra Sinfónica no Parque de Serralves. O concerto de Ema Ruth Rundl, no dia 6, na Sala 2, e do artista norte-americano Robert Glasper, que atua em formação trio ou quarteto, no dia 19, na Sala Suggia, fazem também parte da programação de julho.


Ao longo do mês agosto, ao final da tarde, o fado e a guitarra portuguesa vão estar em foco num ciclo de concertos na Sala 2 e visa marcar o regresso do mercado turista nacional e internacional. Em setembro, o destaque volta a ser para o concerto fora de portas da Orquestra Sinfónica da Casa da Música, que vai atuar na Avenida dos Aliados, no dia 10 de setembro. O pop/rock dos Exit North, com Steve Jansen (fundador da banda Japan) e Thomas Feiner, sobem ao palco da Sala 2, no dia 3 de setembro, e constituem outro destaque desse mês.


Noites alternativas a 16 e 17 de setembro na Sala 2, revelando novas tendências de rock e cujo formato é plateia em pé, também fazem parte da programação de setembro e que marca o fim do evento Verão da Casa 2022.

Mais artigos

  • Câmara Municipal do Porto


    Atualizado pela última vez 2022-06-07