A Universidade do Porto voltou, em 2021, a liderar o estudo sobre a atividade de patenteamento internacional de invenções com origem em Portugal. Em segundo lugar ficou a Universidade do Minho e, em terceiro, a de Coimbra.


Em 2021 permanece o domínio das universidades do Norte, mantendo-se, em relação a 2020, as posições relativas no ranking do Indicador Gastão da Cunha Ferreira (IGCF) até à quinta posição.


No estudo, relativo aos anos 2017-2021, a U.Porto só não liderou o ranking em 2020, sendo ultrapassada, então, pela sua congénere do Minho. No cômputo geral dos cinco anos, a instituição portuense de ensino superior deixa a concorrência mais direta (Minho e Coimbra) a larga distância.


Criado e publicado pela primeira vez em 2014, o IGCF é um estudo sobre a atividade de patenteamento internacional de invenções, com origem em Portugal. O estudo analisa a inovação gerada em empresas nacionais e universidades, fundamental para potenciar o desenvolvimento científico-tecnológico e económico do país.


Este é ainda um dos grandes desafios no sistema nacional de inovação português – transferência da tecnologia gerada no ambiente académico para a indústria, de forma que sejam gerados novos processos e produtos, intensivos em conhecimento e protegidos por patente como salvaguarda da exclusividade.

Mais artigos

  • Câmara Municipal do Porto


    Atualizado pela última vez 2022-05-02