O festival literário está de volta aos Jardins do Palácio de Cristal com uma homenagem à vida e obra da poeta Ana Luísa Amaral, falecida recentemente. 17 dias (até 11 de setembro) de programação onde os livros, as letras, os autores e os leitores se encontram nos Jardins do Palácio de Cristal. De um programa vasto e gratuito, recomendamos oito atividades a não perder. 

 

Concerto: Aldina 

É inegável que o fado sempre foi um veículo privilegiado na divulgação da palavra cantada. E o fado – mais tradicional ou mais contemporâneo – sempre teve a palavra como elemento fundamental na sua afirmação a nível mundial. Nesta edição da Feira do Livro, Aldina Duarte apresenta “Tudo recomeça”, a sua história do fado através dos temas que gravou, editou ou que, simplesmente, nunca saíram da gaveta. Com Paulo Parreira na guitarra portuguesa e Rogério Ferreira na viola.  

 

Concerto de Bolso: Sereias 

Porque a palavra lida convive com a palavra escrita, e esta com a palavra cantada, a Feira do Livro do Porto volta a ser palco de vários concertos no Terreno do Roseiral, numa parceria com o espaço cultural Maus Hábitos. Um desses momentos será protagonizado pelo coletivo Sereias, que apresentam o segundo disco de originais, um registo com claras influências do jazz-rock dos anos 70 e onde pontuam ritmos do post-rock e kraut. 

  • Quinta-feira, 1 de setembro / 19h - Terreiro do Roseiral 

 

“Palavras são Imagens são Palavras”, conversa com Sérgio Godinho 

O pequeno livro de poemas ilustrados do letrista, cantor e compositor Sérgio Godinho dá o mote para uma conversa de final de tarde. Num diálogo descontraído com a jornalista e escritora Inês Fonseca Santos, o autor irá revelar parte do processo criativo, as influências e a importância da liberdade das palavras do mundo atual.  

  • Sexta-feira, 2 de setembro / 18h - Auditório da BMAG 

 

“História da Aranha Leopoldina”, pela Assédio Teatro

A partir de um texto de Ana Luísa Amaral, a companhia de teatro da cidade do Porto propõe um espetáculo para toda a família. Com poesia e música, este trabalho questiona os papéis socialmente pré-determinados, através de uma personagem que contraria todas as regras. Um espetáculo para maiores de três anos.  

  • Domingos, 4 e 11 de setembro / 17h - Sala Infantojuvenil da BMAG 

 

Cinema: “La Academia de las Musas”, de José Luís Guerín 

Cineclube do Porto propõe, para esta edição, um conjunto de quatro longas-metragens que levam os espectadores a percorrer livros e cartas. Um destes exemplos é o filme “La Academia de las Musas”, o papel das mulheres como inspiração da literatura. A sessão será apresentada por Daniel Ribas, programador e crítico de cinema.  

  • Segunda-feira, 5 de setembro / 21h - Auditório da BMAG 

 

Quintas de Leitura, “O Excesso mais Perfeito” 

O recital de poesia muda-se, mais uma vez, para o coração da Feira do Livro, com um encontro feito de palavras. A partir dos 17 livros de poesia de Ana Luísa Amaral constrói-se um recital que conta com a performance de Sónia Baptista, as leituras de Ana Celeste Ferreira, Cristiana Sabino, Margarida Carvalho e Susana Menezes, a imagem de Manuela Pimentel e a música de Rafaela Albuquerque, Golden Slumbers e Emmy Curl.  

  • Quinta-feira, 8 de setembro / 22h - Auditório da BMAG 

 

“Olha o Dia de Ontem Chegando / Canção Popular: Guardiã da Memória”, por Luca Argel 

O Brasil marca passo na programação desta edição com um conjunto de conferências (ou “Lições”), no ano em que se comemoram os 200 anos da independência do país e os 80 anos de um dos seus maiores embaixadores no mundo: Caetano Veloso. Para celebrar este momento, o músico e escritor Luca Argel promove um encontro onde a canção popular e o samba serão o mote para uma conversa sobre as memórias coletivas que sustentam a formação de um país em permanente ebulição social. 

  • Domingo, 11 de setembro / 11h30 - Auditório da BMAG 

 

“Goela Hiante”, Adolfo Luxúria Canibal + Marta Abreu 

Quando o mundo abrandou o seu ritmo, em 2020, o vocalista dos Mão Morta decidiu criar algo novo. Em confinamento, com a ajuda de Marta AbreuAdolfo Luxúria Canibal criou o projeto “Goela Hiante”, um espetáculo de poesia negra e soturna pela voz tonitruante de um dos mais reconhecidos timbres da música portuguesa. Um trabalho onde domina a palavra, num encontro com a música minimal, obsessiva e claustrofóbica. 

  • Domingo, 11 de setembro / 18h - Concha Acústica 

 

Sugestões by Feira do Livro do Porto

Mais artigos

  • Ágora - Cultura e Desporto do Porto


    Atualizado pela última vez 2022-08-29