Os seis caracteres azuis da marca “Porto.” estão de regresso ao topo da Avenida dos Aliados, bem como o irresistível efeito atrativo que produzem em quem visita a cidade. Ninguém passa por ali sem levar uma fotografia das letras.


Os grupos de turistas que se juntam diariamente na Praça do General Humberto Delgado, em frente ao edifício dos Paços do Concelho, demoram-se a admirar os seis caracteres azuis “Porto.” colocados aos pés de Almeida Garrett. Não será apenas por amor à arte da tipografia: as letras são uma verdadeira atração turística e exercem um fascínio ao qual ninguém resiste. De telemóveis em riste, sucedem-se as fotografias.


São, seguramente, as letras mais fotografadas da cidade. Dali não se vê o Douro, nem as pontes, nem os Clérigos, mas o deslumbramento é semelhante a esses ícones do Porto. De forma ordeira, os grupos sucedem-se, aguardam a vez para fazer a fotografia, sobem os degraus, posicionam-se. Há quem abra os braços, como se abraçasse a cidade inteira; há quem escolha um carácter específico e se empoleire nele. Almeida Garrett é um figurante involuntário nas inúmeras fotografias e o edifício dos Paços do Concelho serve de cenário.


Aninhados no “o”, abraçados ao “t”, a espreitar através do “p”, como quem assoma à janela, para apreciar a vista: a Avenida dos Aliados estende-se em frente. O ponto final é uma espécie de banquinho para gozar de um momento de serenidade, enquanto ao redor corre o bulício quotidiano da cidade.

Mais artigos

  • Câmara Municipal do Porto


    Atualizado pela última vez 2022-07-26