A meteorologia colaborou, apesar de alguns pingos ocasionais de chuva, e o público da Invicta estava presente na Porto Super Special Stage. Kalle Rovanperä foi o mais rápido entre os pilotos da categoria principal e reforçou a liderança na classificação geral do Rally de Portugal, que concluiu no domingo.


O Rally de Portugal voltou a passar pelo Porto nesta 55.ª edição e tornou a brindar a assistência com momentos espetaculares. Nas bancadas, os telemóveis erguiam-se para eternizar o instante em que algumas das máquinas mais velozes do planeta aceleraram pelo empedrado da Foz do Douro, em torno do Forte de São João Baptista. Ali ao lado, o Atlântico marulhava e o Douro corria pachorrento enquanto, na estrada, os motores troavam pelo traçado da Porto Super Special Stage.


Num percurso curto mas que levou ao limite a perícia dos pilotos, cada curva, cada aceleração, eram seguidas por milhares de olhos distribuídos pelas bancadas, pelas ruas em torno do traçado, por cada janela e varanda nos edifícios em redor. A cada salto, o bruaá da assistência fazia-se ouvir.


O finlandês Kalle Rovanperä foi o mais veloz entre os pilotos da categoria principal, ampliando dessa forma a liderança no Rally de Portugal, que já ocupava na chegada ao Porto. O piloto da Toyota partiu para o derradeiro dia de prova com 5,7 segundos de vantagem sobre o companheiro de equipa Elfyn Evans – o britânico foi o segundo mais rápido na Porto Super Special Stage.


“Era difícil sabermos se teríamos chuva ou não nesta especial, porque eu não sou meteorologista. Mas foi melhor sem chuva”, congratulou-se Rovanperä, em declarações reproduzidas pelo site oficial do Rally de Portugal. O finlandês sucedeu a Dani Sordo, que no ano passado tinha sido o mais rápido no traçado urbano da Foz do Douro.


O programa da Porto Super Special Stage teve início a meio da tarde e foi dedicado aos clássicos desportivos. A Federação Internacional do Automóvel escolheu o Rally de Portugal para comemorar as 50 edições do Campeonato do Mundo de Rally (WRC) e o público brindou alguns dos modelos mais icónicos da história da competição. Estiveram presentes algumas máquinas emblemáticas, como por exemplo o Porsche 911, Toyota Celica TA22, Ford Escort MK II, BMW 2002, Audi Quattro, Renault 11 Turbo, Mitsubishi Galant VR4 e até a incontornável Renault 4L, com currículo no WRC.


Uma viagem ao passado que serviu para abrir o apetite para o prato principal da Porto Super Special Stage – e os pilotos corresponderam no reencontro com o público da Invicta.

Mais artigos

  • Câmara Municipal do Porto


    Atualizado pela última vez 2022-05-23