O reconhecido artista MrDheo concluiu recentemente na zona da Foz Velha, um mural de arte urbana dedicado às pessoas em situação de sem-abrigo.


Quando o divulgou, o artista citou números que dão conta que Portugal terá cerca de 7.100 pessoas em situação de sem-abrigo, acrescentando que a pandemia poderá ter agravado este problema social.


Uma situação que serviu de inspiração ao artista, que estreia com esta obra uma das duas paredes livres integradas no Programa de Arte Urbana do Porto. De caráter rotativo, estas paredes estão localizadas na Rua da Senhora da Luz (onde MrDheo já deixou a sua marca), e outra na zona da Prelada.


Aliás, foi o artista o primeiro a iniciar este programa, em 2014. O Mural da Trindade, na Rua de Alferes Malheiro, está localizado numa parede lateral do parque de estacionamento municipal com o mesmo nome. Paredes meias, mora ainda uma obra de Hazul (esta mais próxima à Rua do Bonjardim).


A segunda intervenção de MrDheo integrada neste programa nasceu no Bairro de Francos. Quem entra na cidade de metro, vindo do Norte, depara, ao aproximar-se do bairro, com a monumental pintura de um rapaz e, pelo ar cândido, a crítica à glorificação das redes sociais.


É o traço genial e a ironia de um dos mais consagrados nomes da arte urbana nacional, que aplica em todas as suas obras.



Programa de arte urbana conta mais de 90 intervenções


Mais do que apenas libertar muros e paredes, o Programa de Arte Urbana do Porto estabeleceu uma nova e mais estreita relação entre a comunidade artística, o território e os seus habitantes, tornando esta expressão artística numa experiência do dia a dia, que importa valorizar e incentivar, num quadro institucional autorizado.


Seja em edifícios devolutos, fachadas de bairros sociais, muros, empenas, caixas e postos de transformação da EDP, mas também noutros locais mais ou menos inusitados, há obras imperdíveis um pouco por toda a cidade, de nomes emergentes e consagrados da arte urbana, como MrDheo, Hazul, Daniel Eime, Miguel Januário, Third, Godmess, Mesk, Fedor, Costah, Sílvia Peralta, Rafi, Oker, Kino ou Liken, entre tantos outros.


Por força desta iniciativa, foram já realizadas mais de 90 intervenções artísticas no espaço público da cidade do Porto, entre obras de caráter efémero ou permanente, nas suas mais diversas expressões, envolvendo mais de seis dezenas de artistas, nacionais e internacionais.

Mais artigos

  • Câmara Municipal do Porto


    Atualizado pela última vez 2021-04-07