O trabalho do Museu da Cidade prossegue com a reabertura de algumas estações museológicas e, há novas exposições para marcar na agenda.

 

A Casa-Museu Marta Ortigão Sampaio, uma casa construída pela família Ortigão Sampaio com a intenção de conservar e de partilhar o espólio de uma família da burguesia portuense, reabre para revelar a sua coleção de joias, a biblioteca, o acervo de Aurélia de Sousa, bem como o seu jardim, um pequeno retiro verde no centro da cidade.

 

Casa Tait, ponto de trabalho para as equipas do Museu da Cidade, convida aos passeios pelos jardins e percursos românticos. Mesmo ao lado, o Museu Romântico, ou a futura Extensão do Romantismo, encontra-se atualmente encerrada para trabalhos de alteração do seu projeto museológico que vai nascer ainda este ano.

 

O Banco de Materiais, no Palacete dos Viscondes de Balsemão, à Praça de Carlos Alberto, é lugar de acesso livre, onde se depositam objetos encontrados na cidade para recolha, estudo, catalogação e devolução à cidade. Ainda no Palacete abre também esta semana o Triplex, um espaço de três salas onde são concebidos projetos expositivos em parceria ou coprodução.


Mergulhando no complexo e rico arquivo do Partido Comunista Português - Organização Regional do Porto e com sua parceria, a exposição “PCP — 100 anos” abre as portas do Triplex, dia 8, a partir das 15 horas. Em cruzamento, no próximo dia 15 de abril, também pelas 15 horas, é a vez de "Panfletarismo", a partir das duas centenas de cartazes, panfletos e brochuras de diversas origens e que lança o novo Gabinete Gráfico. Este espaço, situado no foyer do Auditório da Biblioteca Municipal Almeida Garrett , apresenta um programa de exposições temporárias dedicado ao diverso e prolífico ecossistema de produção gráfica existente na cidade do Porto.

 

A Casa-Museu Guerra Junqueiro, localizada em plena Sé, acolhe a coleção do poeta e colecionador de artes decorativas e encerra ainda o Gabinete de Desenho, onde está patente, até este domingo, 11 de abril, a exposição de Jorge Feijão, "Cadernos A & B: Prelúdio e Fuga".

 

A Casa do Infante, atualmente em obras de manutenção do edifício, volta também a abrir com a exposição permanente.

 

Os horários mantêm-se de terça a sexta-feira, das 10 às 17,30 horas. Ao fim de semana, os espaços museológicos encerram às 12,30 horas, conforme as regras do estado de emergência em vigor. Todas as visitas são feitas em total segurança, mediante o protocolo de restrições e lotação dos espaços em vigor.

Mais artigos

  • Câmara Municipal do Porto


    Atualizado pela última vez 2021-04-08