O FITEI – Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica sobe aos palcos, a partir deste sábado. Até 16 de maio, há um total de 14 espetáculos presenciais e 10 online para assistir, sete deles em estreia absoluta e outros sete em estreia nacional. A ideia que os une a todos é a da sustentabilidade, não apenas ambiental, como política, individual, afetiva, sexual e mental.


A maior novidade na edição deste ano é o lançamento da plataforma FITEI DIGITAL, pioneira nas plataformas streaming dedicadas ao teatro em Portugal, e que, além dos espetáculos que integram a programação online do festival, vai disponibilizar diversos conteúdos complementares.


O palco digital inaugura com “Estado Vegetal”, uma “reflexão sobre as formas de habitar o planeta e a relação com as entidades vegetais”, da dramaturga chilena Manuela Infante. A vertente política chega com "Amarillo”, da companhia mexicana Línea de Sombra, uma abordagem às fronteiras físicas e mentais que separam o México dos Estados Unidos.


Ainda online, é possível assistir ao trabalho do argentino Sergio Boris, que construiu “Artaud” a partir das cartas do escritor francês Antonin Artaud ao seu psiquiatra, e também a “O Dia da matança na história de Hamlet”, de Bernard-Marie Koltés, encenado por António Júlio para o Teatro Experimental do Porto.


Ao palco das salas do Porto – Teatro Municipal - Rivoli, Teatro Municipal - Campo Alegre, Teatro Nacional São João, Mosteiro de São Bento da Vitória, Teatro Carlos Alberto - TECA , Quinta de Bonjóia, Mala Voadora, Teatro Helena Sá e Costa (ESMAE), CACE Cultural do Porto, Escola Superior Artística do Porto, e Armazém 22 – sobem as propostas nacionais.


Entre as estreias, destaque para “Mappa Mundi”, de Eduardo Breda e Joana de Verona, com contributo de “pessoas em trânsito num mundo cada vez mais incompreensível”, “Maiakovski - Regresso do Futuro”, de Igor Gandra, uma coprodução entre o Teatro do Ferro e o Teatro de Marionetas do Porto, e “InFausto”, de Jorge de Andrade, da Mala Voadora.


Para lá dos espetáculos, o FITEI dá espaço à aprendizagem e à criação dos atores em formação. A secção "O FITEI e as escolas do Porto" conta com espetáculos do balleteatro, ESAP e ESMAE. Paralelos ao festival, acontecem também workshops presenciais e masterclasses online dentro da rubrica "Isto não é uma escola FITEI".


O "FITEI Aberto" propõe lançamentos de livros, conversas (presenciais e online) e ainda concertos, tudo de forma gratuita. A organização destaca o workshop e performance de expressão vocal e sonora da brasileira Marcela Lucatelli, em parceria com a Matéria Prima, a 15 de maio, ou o lançamento do álbum dos Favela, em colaboração com a Circolando e o Criatório.


Além do Porto, o FITEI vai levar o teatro de expressão ibérica a Matosinhos, Viana do Castelo, Vila Nova de Gaia e Viseu. Toda a programação pode ser consultada na página do festival.

Mais artigos

  • Câmara Municipal do Porto


    Atualizado pela última vez 2021-04-30