A reabertura das feiras e dos mercados de caráter não-alimentar acontece já a partir de hoje, dia 19, e será acompanhada pela adoção de um conjunto de medidas preventivas, condensadas num manual de procedimentos divulgado pelo Município do Porto entre os feirantes. Descubra quais são, faça um roteiro para este fim de semana e apoie o comércio local, sempre em segurança.


Voltam às ruas da cidade os vendedores e os produtos da Feira de Artesanato da Batalha - na sua localização original (Rua de Santo Ildefonso/início da Praça da Batalha); do Mercado da Ribeira (Cais da Ribeira); do Mercado de Artesanato do Porto (Praça de Parada Leitão); Mercadinho da Ribeira (Cais da Ribeira); da Feira de Numismática, Filatelia e Colecionismo (Praça D. João I); da Feira dos Passarinhos (Alameda das Fontainhas); e da Feira de Antiguidades e Colecionismo (Praça do Dr. Francisco de Sá Carneiro, vulgo Praça Velasquez), promovidos pela Câmara do Porto.


Quanto aos mercados urbanos organizados por entidades privadas estarão de volta o Sensations Market; Mercado da Alegria; Mercado da Terra; Urban Market; Mercadinho dos Clérigos; Família Sai à Rua; Portobelo; e Pink Market.


Neste plano de reestruturação do regresso das feiras e mercados, a Câmara do Porto optou por deixar para o início de setembro (dia 4) as feiras da Pasteleira, da Vandoma e do Cerco, que são de organização municipal. Do mesmo modo, os promotores do Market Place e Flea Market também só poderão calendarizar novos eventos a partir dessa data.


Com o intuito da preservação da segurança e da saúde de todos os intervenientes, a Câmara do Porto preparou um Manual de Procedimentos e Boas Práticas para Feiras e Mercados, documento que contou com o contributo dos próprios feirantes na sua elaboração, e que agrega todas as medidas de higienização, organização e logística, regras de distanciamento social e assinala a obrigatoriedade do uso de equipamento de proteção individual, quer da parte dos ocupantes/vendedores quer da parte dos visitantes.


O Município do Porto vai assegurar a fiscalização das feiras e mercados, para garantir o cumprimento das boas práticas e minimizar efeitos de contágio que impossibilitem a retoma da atividade comercial e a consequente recuperação da crise sanitária.

Mais artigos

  • Câmara Municipal do Porto


    Atualizado pela última vez 2020-06-19