7 Setembro 2020 a 13 Setembro 2020

YOKO ONO | O JARDIM DA APRENDIZAGEM DA LIBERDADE

30/05/2020

Yoko Ono: O jardim da aprendizagem da liberdade é uma vasta exposição dedicada ao trabalho da icónica artista Yoko Ono, que reúne objetos, obras em papel, instalações, performances, gravações em áudio e filmes, além de materiais de arquivo raramente vistos. A mostra apresenta um abrangente panorama da multifacetada produção desta artista pioneira da arte conceptual e da performance que durante os primeiros anos de sua extensa carreira viveu entre Nova Iorque, Tóquio e Londres, tendo tido um papel precursor no desenvolvimento do conceptualismo, da arte performativa e do filme experimental a nível internacional. Ideias, mais do que materiais, são a principal componente do seu trabalho. Muitas dessas ideias são poéticas, absurdas e utópicas, enquanto outras são específicas e práticas. Algumas são transformadas em objetos, enquanto outras permanecem imateriais. Frequentemente, a obra reflete o sentido de humor da artista, bem como sua postura marcadamente sociocrítica. O ponto de partida para muitos dos trabalhos de Yoko Ono encontra-se nas suas Instructions [Instruções]: diretrizes orais ou escritas para os espectadores, que oferecem um conjunto de sugestões e atribuem ao público um papel muito mais ativo do que é geralmente esperado no mundo da arte.

Ciclo de Circo Trengolas

28/08/2020

Integrado na Feira do Livro do Porto e na programação do Teatro Municipal do Porto, o ciclo, que conta com um total de 20 apresentações e 14 espetáculos, passará por três espaços da Invicta: os Jardins do Palácio de Cristal, o Parque de S. Roque e a Praça D. João I. O arranque acontece às 21,30 horas, nos jardins de São Roque, com o espetáculo "Asas D'Areia", do Teatro do Mar. No dia 29 de agosto, segue-se "T0 Wip", de Thorsten Grütjen, que se repete às 15 e às 18 horas, também no parque situado na Rua S. Roque da Lameira. No dia seguinte, o mesmo espaço da cidade acolhe, às 11 e às 12 horas, duas apresentações da performance "Pequena Circoonferencia", da companhia Radar 360°. A partir das 17 horas do dia 30 de agosto, será a vez do grupo "Trengos à Solta" andarem pelos Jardins do Palácio de Cristal. A abrir o mês de setembro, o espetáculo "Crasshduo Circus", da companhia Crassh, marca a entrada por novas incursões do circo contemporâneo, no dia 5, com uma sessão às 15 e outra às 18 horas. Já no domingo, dia 6 de setembro, pelas 17 horas, a animação vai estar a cargo de uma segunda vaga da trupe de artistas "Trengos à Solta", nos Jardins do Palácio. "Por um Fio", do acrobata portuense Daniel Seabra, é a performance que se segue, apresentada no dia 12, sábado, nos jardins de S. Roque, com uma sessão às 15 e outra às 18 horas. No dia seguinte, domingo, pelas 17 horas, "novas diatribes" apresentam um coletivo renovado de "Trengos à Solta", no Palácio de Cristal. Para encerrar o ciclo de performances de rua, os dias 18 e 19 de setembro estão reservados para a estreia do espetáculo da companhia anfitriã do evento, a Erva Daninha, com "Ready" a ser apresentado nos dois dias, às 21 horas, na Praça D. João I. A organização do ciclo Trengolas teve por objetivo garantir a programação prevista para o Festival Trengo e ainda reforçar com mais de 40 artistas e técnicos residentes em Portugal que, devido à ausência de trabalho nos últimos meses, viram a sua atividade ser fortemente prejudicada.

Da Coleção de Serralves no Palácio da Bolsa: Ana Vieira

Até 30/09/2020

10 €

Ana Vieira pertence à primeira geração de artistas portugueses que, nos anos 1960, questionou o lugar central dos meios tradicionais pintura e escultura na produção artística. A obra Sem título (1968) integra um conjunto de trabalhos realizados pela artista no início da sua carreira que colocam em evidência a recusa da natureza da pintura e uma poética reflexiva em torno do espaço. Este trabalho histórico de Ana Vieira é apresentado no Palácio da Bolsa no âmbito do programa nacional de itinerâncias da Coleção de Serralves, que tem por objetivo tornar o acervo da Fundação acessível a públicos diversificados de todas as regiões do país.

Mercado da Ribeira

Até 31/12/2020

O Mercado da Ribeira é constituído por 10 lojas, e foi criado após a renovação do antigo mercado. Produtos alimentares na sua vertente tradicional, produtos de interesse turístico e promocionais, e restauração. Localização: Cais da Ribeira (Junto ao pilar norte da Ponte D. Luís I)


YOKO ONO | O JARDIM DA APRENDIZAGEM DA LIBERDADE

30/05/2020

Yoko Ono: O jardim da aprendizagem da liberdade é uma vasta exposição dedicada ao trabalho da icónica artista Yoko Ono, que reúne objetos, obras em papel, instalações, performances, gravações em áudio e filmes, além de materiais de arquivo raramente vistos. A mostra apresenta um abrangente panorama da multifacetada produção desta artista pioneira da arte conceptual e da performance que durante os primeiros anos de sua extensa carreira viveu entre Nova Iorque, Tóquio e Londres, tendo tido um papel precursor no desenvolvimento do conceptualismo, da arte performativa e do filme experimental a nível internacional. Ideias, mais do que materiais, são a principal componente do seu trabalho. Muitas dessas ideias são poéticas, absurdas e utópicas, enquanto outras são específicas e práticas. Algumas são transformadas em objetos, enquanto outras permanecem imateriais. Frequentemente, a obra reflete o sentido de humor da artista, bem como sua postura marcadamente sociocrítica. O ponto de partida para muitos dos trabalhos de Yoko Ono encontra-se nas suas Instructions [Instruções]: diretrizes orais ou escritas para os espectadores, que oferecem um conjunto de sugestões e atribuem ao público um papel muito mais ativo do que é geralmente esperado no mundo da arte.

Ciclo de Circo Trengolas

28/08/2020

Integrado na Feira do Livro do Porto e na programação do Teatro Municipal do Porto, o ciclo, que conta com um total de 20 apresentações e 14 espetáculos, passará por três espaços da Invicta: os Jardins do Palácio de Cristal, o Parque de S. Roque e a Praça D. João I. O arranque acontece às 21,30 horas, nos jardins de São Roque, com o espetáculo "Asas D'Areia", do Teatro do Mar. No dia 29 de agosto, segue-se "T0 Wip", de Thorsten Grütjen, que se repete às 15 e às 18 horas, também no parque situado na Rua S. Roque da Lameira. No dia seguinte, o mesmo espaço da cidade acolhe, às 11 e às 12 horas, duas apresentações da performance "Pequena Circoonferencia", da companhia Radar 360°. A partir das 17 horas do dia 30 de agosto, será a vez do grupo "Trengos à Solta" andarem pelos Jardins do Palácio de Cristal. A abrir o mês de setembro, o espetáculo "Crasshduo Circus", da companhia Crassh, marca a entrada por novas incursões do circo contemporâneo, no dia 5, com uma sessão às 15 e outra às 18 horas. Já no domingo, dia 6 de setembro, pelas 17 horas, a animação vai estar a cargo de uma segunda vaga da trupe de artistas "Trengos à Solta", nos Jardins do Palácio. "Por um Fio", do acrobata portuense Daniel Seabra, é a performance que se segue, apresentada no dia 12, sábado, nos jardins de S. Roque, com uma sessão às 15 e outra às 18 horas. No dia seguinte, domingo, pelas 17 horas, "novas diatribes" apresentam um coletivo renovado de "Trengos à Solta", no Palácio de Cristal. Para encerrar o ciclo de performances de rua, os dias 18 e 19 de setembro estão reservados para a estreia do espetáculo da companhia anfitriã do evento, a Erva Daninha, com "Ready" a ser apresentado nos dois dias, às 21 horas, na Praça D. João I. A organização do ciclo Trengolas teve por objetivo garantir a programação prevista para o Festival Trengo e ainda reforçar com mais de 40 artistas e técnicos residentes em Portugal que, devido à ausência de trabalho nos últimos meses, viram a sua atividade ser fortemente prejudicada.

Da Coleção de Serralves no Palácio da Bolsa: Ana Vieira

Até 30/09/2020

10 €

Ana Vieira pertence à primeira geração de artistas portugueses que, nos anos 1960, questionou o lugar central dos meios tradicionais pintura e escultura na produção artística. A obra Sem título (1968) integra um conjunto de trabalhos realizados pela artista no início da sua carreira que colocam em evidência a recusa da natureza da pintura e uma poética reflexiva em torno do espaço. Este trabalho histórico de Ana Vieira é apresentado no Palácio da Bolsa no âmbito do programa nacional de itinerâncias da Coleção de Serralves, que tem por objetivo tornar o acervo da Fundação acessível a públicos diversificados de todas as regiões do país.

Mercado da Ribeira

Até 31/12/2020

O Mercado da Ribeira é constituído por 10 lojas, e foi criado após a renovação do antigo mercado. Produtos alimentares na sua vertente tradicional, produtos de interesse turístico e promocionais, e restauração. Localização: Cais da Ribeira (Junto ao pilar norte da Ponte D. Luís I)


YOKO ONO | O JARDIM DA APRENDIZAGEM DA LIBERDADE

30/05/2020

Yoko Ono: O jardim da aprendizagem da liberdade é uma vasta exposição dedicada ao trabalho da icónica artista Yoko Ono, que reúne objetos, obras em papel, instalações, performances, gravações em áudio e filmes, além de materiais de arquivo raramente vistos. A mostra apresenta um abrangente panorama da multifacetada produção desta artista pioneira da arte conceptual e da performance que durante os primeiros anos de sua extensa carreira viveu entre Nova Iorque, Tóquio e Londres, tendo tido um papel precursor no desenvolvimento do conceptualismo, da arte performativa e do filme experimental a nível internacional. Ideias, mais do que materiais, são a principal componente do seu trabalho. Muitas dessas ideias são poéticas, absurdas e utópicas, enquanto outras são específicas e práticas. Algumas são transformadas em objetos, enquanto outras permanecem imateriais. Frequentemente, a obra reflete o sentido de humor da artista, bem como sua postura marcadamente sociocrítica. O ponto de partida para muitos dos trabalhos de Yoko Ono encontra-se nas suas Instructions [Instruções]: diretrizes orais ou escritas para os espectadores, que oferecem um conjunto de sugestões e atribuem ao público um papel muito mais ativo do que é geralmente esperado no mundo da arte.

Ciclo de Circo Trengolas

28/08/2020

Integrado na Feira do Livro do Porto e na programação do Teatro Municipal do Porto, o ciclo, que conta com um total de 20 apresentações e 14 espetáculos, passará por três espaços da Invicta: os Jardins do Palácio de Cristal, o Parque de S. Roque e a Praça D. João I. O arranque acontece às 21,30 horas, nos jardins de São Roque, com o espetáculo "Asas D'Areia", do Teatro do Mar. No dia 29 de agosto, segue-se "T0 Wip", de Thorsten Grütjen, que se repete às 15 e às 18 horas, também no parque situado na Rua S. Roque da Lameira. No dia seguinte, o mesmo espaço da cidade acolhe, às 11 e às 12 horas, duas apresentações da performance "Pequena Circoonferencia", da companhia Radar 360°. A partir das 17 horas do dia 30 de agosto, será a vez do grupo "Trengos à Solta" andarem pelos Jardins do Palácio de Cristal. A abrir o mês de setembro, o espetáculo "Crasshduo Circus", da companhia Crassh, marca a entrada por novas incursões do circo contemporâneo, no dia 5, com uma sessão às 15 e outra às 18 horas. Já no domingo, dia 6 de setembro, pelas 17 horas, a animação vai estar a cargo de uma segunda vaga da trupe de artistas "Trengos à Solta", nos Jardins do Palácio. "Por um Fio", do acrobata portuense Daniel Seabra, é a performance que se segue, apresentada no dia 12, sábado, nos jardins de S. Roque, com uma sessão às 15 e outra às 18 horas. No dia seguinte, domingo, pelas 17 horas, "novas diatribes" apresentam um coletivo renovado de "Trengos à Solta", no Palácio de Cristal. Para encerrar o ciclo de performances de rua, os dias 18 e 19 de setembro estão reservados para a estreia do espetáculo da companhia anfitriã do evento, a Erva Daninha, com "Ready" a ser apresentado nos dois dias, às 21 horas, na Praça D. João I. A organização do ciclo Trengolas teve por objetivo garantir a programação prevista para o Festival Trengo e ainda reforçar com mais de 40 artistas e técnicos residentes em Portugal que, devido à ausência de trabalho nos últimos meses, viram a sua atividade ser fortemente prejudicada.

Da Coleção de Serralves no Palácio da Bolsa: Ana Vieira

Até 30/09/2020

10 €

Ana Vieira pertence à primeira geração de artistas portugueses que, nos anos 1960, questionou o lugar central dos meios tradicionais pintura e escultura na produção artística. A obra Sem título (1968) integra um conjunto de trabalhos realizados pela artista no início da sua carreira que colocam em evidência a recusa da natureza da pintura e uma poética reflexiva em torno do espaço. Este trabalho histórico de Ana Vieira é apresentado no Palácio da Bolsa no âmbito do programa nacional de itinerâncias da Coleção de Serralves, que tem por objetivo tornar o acervo da Fundação acessível a públicos diversificados de todas as regiões do país.

Mercado da Ribeira

Até 31/12/2020

O Mercado da Ribeira é constituído por 10 lojas, e foi criado após a renovação do antigo mercado. Produtos alimentares na sua vertente tradicional, produtos de interesse turístico e promocionais, e restauração. Localização: Cais da Ribeira (Junto ao pilar norte da Ponte D. Luís I)


YOKO ONO | O JARDIM DA APRENDIZAGEM DA LIBERDADE

30/05/2020

Yoko Ono: O jardim da aprendizagem da liberdade é uma vasta exposição dedicada ao trabalho da icónica artista Yoko Ono, que reúne objetos, obras em papel, instalações, performances, gravações em áudio e filmes, além de materiais de arquivo raramente vistos. A mostra apresenta um abrangente panorama da multifacetada produção desta artista pioneira da arte conceptual e da performance que durante os primeiros anos de sua extensa carreira viveu entre Nova Iorque, Tóquio e Londres, tendo tido um papel precursor no desenvolvimento do conceptualismo, da arte performativa e do filme experimental a nível internacional. Ideias, mais do que materiais, são a principal componente do seu trabalho. Muitas dessas ideias são poéticas, absurdas e utópicas, enquanto outras são específicas e práticas. Algumas são transformadas em objetos, enquanto outras permanecem imateriais. Frequentemente, a obra reflete o sentido de humor da artista, bem como sua postura marcadamente sociocrítica. O ponto de partida para muitos dos trabalhos de Yoko Ono encontra-se nas suas Instructions [Instruções]: diretrizes orais ou escritas para os espectadores, que oferecem um conjunto de sugestões e atribuem ao público um papel muito mais ativo do que é geralmente esperado no mundo da arte.

Ciclo de Circo Trengolas

28/08/2020

Integrado na Feira do Livro do Porto e na programação do Teatro Municipal do Porto, o ciclo, que conta com um total de 20 apresentações e 14 espetáculos, passará por três espaços da Invicta: os Jardins do Palácio de Cristal, o Parque de S. Roque e a Praça D. João I. O arranque acontece às 21,30 horas, nos jardins de São Roque, com o espetáculo "Asas D'Areia", do Teatro do Mar. No dia 29 de agosto, segue-se "T0 Wip", de Thorsten Grütjen, que se repete às 15 e às 18 horas, também no parque situado na Rua S. Roque da Lameira. No dia seguinte, o mesmo espaço da cidade acolhe, às 11 e às 12 horas, duas apresentações da performance "Pequena Circoonferencia", da companhia Radar 360°. A partir das 17 horas do dia 30 de agosto, será a vez do grupo "Trengos à Solta" andarem pelos Jardins do Palácio de Cristal. A abrir o mês de setembro, o espetáculo "Crasshduo Circus", da companhia Crassh, marca a entrada por novas incursões do circo contemporâneo, no dia 5, com uma sessão às 15 e outra às 18 horas. Já no domingo, dia 6 de setembro, pelas 17 horas, a animação vai estar a cargo de uma segunda vaga da trupe de artistas "Trengos à Solta", nos Jardins do Palácio. "Por um Fio", do acrobata portuense Daniel Seabra, é a performance que se segue, apresentada no dia 12, sábado, nos jardins de S. Roque, com uma sessão às 15 e outra às 18 horas. No dia seguinte, domingo, pelas 17 horas, "novas diatribes" apresentam um coletivo renovado de "Trengos à Solta", no Palácio de Cristal. Para encerrar o ciclo de performances de rua, os dias 18 e 19 de setembro estão reservados para a estreia do espetáculo da companhia anfitriã do evento, a Erva Daninha, com "Ready" a ser apresentado nos dois dias, às 21 horas, na Praça D. João I. A organização do ciclo Trengolas teve por objetivo garantir a programação prevista para o Festival Trengo e ainda reforçar com mais de 40 artistas e técnicos residentes em Portugal que, devido à ausência de trabalho nos últimos meses, viram a sua atividade ser fortemente prejudicada.

Ars Electronica Porto Garden by FNDMT

09/09/2020

O programa da edição regional do Porto, desenvolvido através da empresa OFundamentO (FNDMT), companhia irmã da ThePowerHouse, fundada por Lisa Lang, contempla seis momentos-chave, que serão libertados no espaço virtual ao longo dos próximos dias. Os temas que constam do alinhamento do primeiro Ars Electronica Porto Garden by FNDMT vão convocar os participantes a discorrer sobre "Como encontrar oportunidades no caos", a refletir "O impacto social e a ética na inteligência artificial" ou até a identificar quais os materiais mais propícios a uma viagem espacial, desafiando os intervenientes da mesa redonda a apresentar soluções flexíveis e inovadoras. O último painel, "Porto: Welcome to the city of makers, your place for creative enterprises." (Porto: Bem-vindos à cidade dos fazedores, o local ideal para as empresas criativas), que será lançado no próximo domingo, dia 13, a partir do site e das redes sociais do evento, conta com a participação do vereador da Economia, Turismo e Comércio da Câmara do Porto, Ricardo Valente, do presidente do Porto Tech Hub, Luís Neves, da mentora do projeto A Marquinista, Patrícia Soares da Costa, além dos "makers" (fazedores) Mário Silva, da galeria Lehmann + Silva, Irena Übler, especialista em design industrial e sustentabilidade, e Tauan Bernardo, do VivaLab. A moderação ficará a cargo de Lisa Lang, considerada pela Forbes uma das 50 mulheres mais influentes na tecnologia europeia. O Ars Electronica Porto Garden by FNDMT, cuja ideia foi alimentada durante o período de pandemia por mais duas mulheres empreendedoras que integram a equipa ThePowerHouse, Lívia Pinent e Joana Lacerda, conta com o apoio do Município do Porto.

Castro

Até 12/09/2020

Vamos recomeçar, com todos os cuidados. Não temos pressa, temos saudades. E um agradecimento público a fazer. Vamos recomeçar com aqueles que nos querem bem e com aqueles que nos fizeram bem. “Cuidar no bem lança a tristeza fora”, ouvimos dizer em Castro. No início de julho, regressamos ao espetáculo que a pandemia suspendeu. De novo juntos! Vamos recomeçar, com alegria e em segurança. “Vive leda, Castro, vive segura, lança os medos fora.” Com Castro (1598), do poeta António Ferreira, Nuno Cardoso instala-se pela primeira vez no território de um cânone da dramaturgia portuguesa, pioneiro da tragédia clássica em Portugal. E quer habitar esta ficção literária, ela própria oferecendo uma leitura particular do drama histórico/lenda/mito dos amores de Pedro e Inês, para a dar a “ver com outros olhos”, revelando-lhe a modernidade e densidade intrínsecas, veladas pela poesia da linguagem e pela elocução. Um imenso palco-casa-país, espécie de maquete gigante dos espaços da ação, célula familiar primordial e claustrofóbica, coloca-nos face à intimidade concreta de personagens que se revelam cativas de si próprias e da sua irredutibilidade. Em Castro, como em A Morte de Danton, a questão da utopia (do amor, como da revolução) é crucial. É o seu negro avesso o que se expõe: o amor/desejo e o poder como vício e caos, como prerrogativa, impunidade e prepotência, como cegueira que “escurece daquela luz antiga o claro raio”. E como esse escurecimento tolda a decisão e se replica, tingindo de sangue e vingança o tecido familiar, num peculiar deslocamento do centro de Castro de Inês, e da razão de Estado como ficção e moral, para Pedro, na sua relação especular com o pai, Afonso IV. “Que estrela foi aquela tão escura?”


YOKO ONO | O JARDIM DA APRENDIZAGEM DA LIBERDADE

30/05/2020

Yoko Ono: O jardim da aprendizagem da liberdade é uma vasta exposição dedicada ao trabalho da icónica artista Yoko Ono, que reúne objetos, obras em papel, instalações, performances, gravações em áudio e filmes, além de materiais de arquivo raramente vistos. A mostra apresenta um abrangente panorama da multifacetada produção desta artista pioneira da arte conceptual e da performance que durante os primeiros anos de sua extensa carreira viveu entre Nova Iorque, Tóquio e Londres, tendo tido um papel precursor no desenvolvimento do conceptualismo, da arte performativa e do filme experimental a nível internacional. Ideias, mais do que materiais, são a principal componente do seu trabalho. Muitas dessas ideias são poéticas, absurdas e utópicas, enquanto outras são específicas e práticas. Algumas são transformadas em objetos, enquanto outras permanecem imateriais. Frequentemente, a obra reflete o sentido de humor da artista, bem como sua postura marcadamente sociocrítica. O ponto de partida para muitos dos trabalhos de Yoko Ono encontra-se nas suas Instructions [Instruções]: diretrizes orais ou escritas para os espectadores, que oferecem um conjunto de sugestões e atribuem ao público um papel muito mais ativo do que é geralmente esperado no mundo da arte.

Ciclo de Circo Trengolas

28/08/2020

Integrado na Feira do Livro do Porto e na programação do Teatro Municipal do Porto, o ciclo, que conta com um total de 20 apresentações e 14 espetáculos, passará por três espaços da Invicta: os Jardins do Palácio de Cristal, o Parque de S. Roque e a Praça D. João I. O arranque acontece às 21,30 horas, nos jardins de São Roque, com o espetáculo "Asas D'Areia", do Teatro do Mar. No dia 29 de agosto, segue-se "T0 Wip", de Thorsten Grütjen, que se repete às 15 e às 18 horas, também no parque situado na Rua S. Roque da Lameira. No dia seguinte, o mesmo espaço da cidade acolhe, às 11 e às 12 horas, duas apresentações da performance "Pequena Circoonferencia", da companhia Radar 360°. A partir das 17 horas do dia 30 de agosto, será a vez do grupo "Trengos à Solta" andarem pelos Jardins do Palácio de Cristal. A abrir o mês de setembro, o espetáculo "Crasshduo Circus", da companhia Crassh, marca a entrada por novas incursões do circo contemporâneo, no dia 5, com uma sessão às 15 e outra às 18 horas. Já no domingo, dia 6 de setembro, pelas 17 horas, a animação vai estar a cargo de uma segunda vaga da trupe de artistas "Trengos à Solta", nos Jardins do Palácio. "Por um Fio", do acrobata portuense Daniel Seabra, é a performance que se segue, apresentada no dia 12, sábado, nos jardins de S. Roque, com uma sessão às 15 e outra às 18 horas. No dia seguinte, domingo, pelas 17 horas, "novas diatribes" apresentam um coletivo renovado de "Trengos à Solta", no Palácio de Cristal. Para encerrar o ciclo de performances de rua, os dias 18 e 19 de setembro estão reservados para a estreia do espetáculo da companhia anfitriã do evento, a Erva Daninha, com "Ready" a ser apresentado nos dois dias, às 21 horas, na Praça D. João I. A organização do ciclo Trengolas teve por objetivo garantir a programação prevista para o Festival Trengo e ainda reforçar com mais de 40 artistas e técnicos residentes em Portugal que, devido à ausência de trabalho nos últimos meses, viram a sua atividade ser fortemente prejudicada.

Ars Electronica Porto Garden by FNDMT

09/09/2020

O programa da edição regional do Porto, desenvolvido através da empresa OFundamentO (FNDMT), companhia irmã da ThePowerHouse, fundada por Lisa Lang, contempla seis momentos-chave, que serão libertados no espaço virtual ao longo dos próximos dias. Os temas que constam do alinhamento do primeiro Ars Electronica Porto Garden by FNDMT vão convocar os participantes a discorrer sobre "Como encontrar oportunidades no caos", a refletir "O impacto social e a ética na inteligência artificial" ou até a identificar quais os materiais mais propícios a uma viagem espacial, desafiando os intervenientes da mesa redonda a apresentar soluções flexíveis e inovadoras. O último painel, "Porto: Welcome to the city of makers, your place for creative enterprises." (Porto: Bem-vindos à cidade dos fazedores, o local ideal para as empresas criativas), que será lançado no próximo domingo, dia 13, a partir do site e das redes sociais do evento, conta com a participação do vereador da Economia, Turismo e Comércio da Câmara do Porto, Ricardo Valente, do presidente do Porto Tech Hub, Luís Neves, da mentora do projeto A Marquinista, Patrícia Soares da Costa, além dos "makers" (fazedores) Mário Silva, da galeria Lehmann + Silva, Irena Übler, especialista em design industrial e sustentabilidade, e Tauan Bernardo, do VivaLab. A moderação ficará a cargo de Lisa Lang, considerada pela Forbes uma das 50 mulheres mais influentes na tecnologia europeia. O Ars Electronica Porto Garden by FNDMT, cuja ideia foi alimentada durante o período de pandemia por mais duas mulheres empreendedoras que integram a equipa ThePowerHouse, Lívia Pinent e Joana Lacerda, conta com o apoio do Município do Porto.

Da Coleção de Serralves no Palácio da Bolsa: Ana Vieira

Até 30/09/2020

10 €

Ana Vieira pertence à primeira geração de artistas portugueses que, nos anos 1960, questionou o lugar central dos meios tradicionais pintura e escultura na produção artística. A obra Sem título (1968) integra um conjunto de trabalhos realizados pela artista no início da sua carreira que colocam em evidência a recusa da natureza da pintura e uma poética reflexiva em torno do espaço. Este trabalho histórico de Ana Vieira é apresentado no Palácio da Bolsa no âmbito do programa nacional de itinerâncias da Coleção de Serralves, que tem por objetivo tornar o acervo da Fundação acessível a públicos diversificados de todas as regiões do país.


YOKO ONO | O JARDIM DA APRENDIZAGEM DA LIBERDADE

30/05/2020

Yoko Ono: O jardim da aprendizagem da liberdade é uma vasta exposição dedicada ao trabalho da icónica artista Yoko Ono, que reúne objetos, obras em papel, instalações, performances, gravações em áudio e filmes, além de materiais de arquivo raramente vistos. A mostra apresenta um abrangente panorama da multifacetada produção desta artista pioneira da arte conceptual e da performance que durante os primeiros anos de sua extensa carreira viveu entre Nova Iorque, Tóquio e Londres, tendo tido um papel precursor no desenvolvimento do conceptualismo, da arte performativa e do filme experimental a nível internacional. Ideias, mais do que materiais, são a principal componente do seu trabalho. Muitas dessas ideias são poéticas, absurdas e utópicas, enquanto outras são específicas e práticas. Algumas são transformadas em objetos, enquanto outras permanecem imateriais. Frequentemente, a obra reflete o sentido de humor da artista, bem como sua postura marcadamente sociocrítica. O ponto de partida para muitos dos trabalhos de Yoko Ono encontra-se nas suas Instructions [Instruções]: diretrizes orais ou escritas para os espectadores, que oferecem um conjunto de sugestões e atribuem ao público um papel muito mais ativo do que é geralmente esperado no mundo da arte.

Ciclo de Circo Trengolas

28/08/2020

Integrado na Feira do Livro do Porto e na programação do Teatro Municipal do Porto, o ciclo, que conta com um total de 20 apresentações e 14 espetáculos, passará por três espaços da Invicta: os Jardins do Palácio de Cristal, o Parque de S. Roque e a Praça D. João I. O arranque acontece às 21,30 horas, nos jardins de São Roque, com o espetáculo "Asas D'Areia", do Teatro do Mar. No dia 29 de agosto, segue-se "T0 Wip", de Thorsten Grütjen, que se repete às 15 e às 18 horas, também no parque situado na Rua S. Roque da Lameira. No dia seguinte, o mesmo espaço da cidade acolhe, às 11 e às 12 horas, duas apresentações da performance "Pequena Circoonferencia", da companhia Radar 360°. A partir das 17 horas do dia 30 de agosto, será a vez do grupo "Trengos à Solta" andarem pelos Jardins do Palácio de Cristal. A abrir o mês de setembro, o espetáculo "Crasshduo Circus", da companhia Crassh, marca a entrada por novas incursões do circo contemporâneo, no dia 5, com uma sessão às 15 e outra às 18 horas. Já no domingo, dia 6 de setembro, pelas 17 horas, a animação vai estar a cargo de uma segunda vaga da trupe de artistas "Trengos à Solta", nos Jardins do Palácio. "Por um Fio", do acrobata portuense Daniel Seabra, é a performance que se segue, apresentada no dia 12, sábado, nos jardins de S. Roque, com uma sessão às 15 e outra às 18 horas. No dia seguinte, domingo, pelas 17 horas, "novas diatribes" apresentam um coletivo renovado de "Trengos à Solta", no Palácio de Cristal. Para encerrar o ciclo de performances de rua, os dias 18 e 19 de setembro estão reservados para a estreia do espetáculo da companhia anfitriã do evento, a Erva Daninha, com "Ready" a ser apresentado nos dois dias, às 21 horas, na Praça D. João I. A organização do ciclo Trengolas teve por objetivo garantir a programação prevista para o Festival Trengo e ainda reforçar com mais de 40 artistas e técnicos residentes em Portugal que, devido à ausência de trabalho nos últimos meses, viram a sua atividade ser fortemente prejudicada.

Ars Electronica Porto Garden by FNDMT

09/09/2020

O programa da edição regional do Porto, desenvolvido através da empresa OFundamentO (FNDMT), companhia irmã da ThePowerHouse, fundada por Lisa Lang, contempla seis momentos-chave, que serão libertados no espaço virtual ao longo dos próximos dias. Os temas que constam do alinhamento do primeiro Ars Electronica Porto Garden by FNDMT vão convocar os participantes a discorrer sobre "Como encontrar oportunidades no caos", a refletir "O impacto social e a ética na inteligência artificial" ou até a identificar quais os materiais mais propícios a uma viagem espacial, desafiando os intervenientes da mesa redonda a apresentar soluções flexíveis e inovadoras. O último painel, "Porto: Welcome to the city of makers, your place for creative enterprises." (Porto: Bem-vindos à cidade dos fazedores, o local ideal para as empresas criativas), que será lançado no próximo domingo, dia 13, a partir do site e das redes sociais do evento, conta com a participação do vereador da Economia, Turismo e Comércio da Câmara do Porto, Ricardo Valente, do presidente do Porto Tech Hub, Luís Neves, da mentora do projeto A Marquinista, Patrícia Soares da Costa, além dos "makers" (fazedores) Mário Silva, da galeria Lehmann + Silva, Irena Übler, especialista em design industrial e sustentabilidade, e Tauan Bernardo, do VivaLab. A moderação ficará a cargo de Lisa Lang, considerada pela Forbes uma das 50 mulheres mais influentes na tecnologia europeia. O Ars Electronica Porto Garden by FNDMT, cuja ideia foi alimentada durante o período de pandemia por mais duas mulheres empreendedoras que integram a equipa ThePowerHouse, Lívia Pinent e Joana Lacerda, conta com o apoio do Município do Porto.

Da Coleção de Serralves no Palácio da Bolsa: Ana Vieira

Até 30/09/2020

10 €

Ana Vieira pertence à primeira geração de artistas portugueses que, nos anos 1960, questionou o lugar central dos meios tradicionais pintura e escultura na produção artística. A obra Sem título (1968) integra um conjunto de trabalhos realizados pela artista no início da sua carreira que colocam em evidência a recusa da natureza da pintura e uma poética reflexiva em torno do espaço. Este trabalho histórico de Ana Vieira é apresentado no Palácio da Bolsa no âmbito do programa nacional de itinerâncias da Coleção de Serralves, que tem por objetivo tornar o acervo da Fundação acessível a públicos diversificados de todas as regiões do país.


YOKO ONO | O JARDIM DA APRENDIZAGEM DA LIBERDADE

30/05/2020

Yoko Ono: O jardim da aprendizagem da liberdade é uma vasta exposição dedicada ao trabalho da icónica artista Yoko Ono, que reúne objetos, obras em papel, instalações, performances, gravações em áudio e filmes, além de materiais de arquivo raramente vistos. A mostra apresenta um abrangente panorama da multifacetada produção desta artista pioneira da arte conceptual e da performance que durante os primeiros anos de sua extensa carreira viveu entre Nova Iorque, Tóquio e Londres, tendo tido um papel precursor no desenvolvimento do conceptualismo, da arte performativa e do filme experimental a nível internacional. Ideias, mais do que materiais, são a principal componente do seu trabalho. Muitas dessas ideias são poéticas, absurdas e utópicas, enquanto outras são específicas e práticas. Algumas são transformadas em objetos, enquanto outras permanecem imateriais. Frequentemente, a obra reflete o sentido de humor da artista, bem como sua postura marcadamente sociocrítica. O ponto de partida para muitos dos trabalhos de Yoko Ono encontra-se nas suas Instructions [Instruções]: diretrizes orais ou escritas para os espectadores, que oferecem um conjunto de sugestões e atribuem ao público um papel muito mais ativo do que é geralmente esperado no mundo da arte.

Ciclo de Circo Trengolas

28/08/2020

Integrado na Feira do Livro do Porto e na programação do Teatro Municipal do Porto, o ciclo, que conta com um total de 20 apresentações e 14 espetáculos, passará por três espaços da Invicta: os Jardins do Palácio de Cristal, o Parque de S. Roque e a Praça D. João I. O arranque acontece às 21,30 horas, nos jardins de São Roque, com o espetáculo "Asas D'Areia", do Teatro do Mar. No dia 29 de agosto, segue-se "T0 Wip", de Thorsten Grütjen, que se repete às 15 e às 18 horas, também no parque situado na Rua S. Roque da Lameira. No dia seguinte, o mesmo espaço da cidade acolhe, às 11 e às 12 horas, duas apresentações da performance "Pequena Circoonferencia", da companhia Radar 360°. A partir das 17 horas do dia 30 de agosto, será a vez do grupo "Trengos à Solta" andarem pelos Jardins do Palácio de Cristal. A abrir o mês de setembro, o espetáculo "Crasshduo Circus", da companhia Crassh, marca a entrada por novas incursões do circo contemporâneo, no dia 5, com uma sessão às 15 e outra às 18 horas. Já no domingo, dia 6 de setembro, pelas 17 horas, a animação vai estar a cargo de uma segunda vaga da trupe de artistas "Trengos à Solta", nos Jardins do Palácio. "Por um Fio", do acrobata portuense Daniel Seabra, é a performance que se segue, apresentada no dia 12, sábado, nos jardins de S. Roque, com uma sessão às 15 e outra às 18 horas. No dia seguinte, domingo, pelas 17 horas, "novas diatribes" apresentam um coletivo renovado de "Trengos à Solta", no Palácio de Cristal. Para encerrar o ciclo de performances de rua, os dias 18 e 19 de setembro estão reservados para a estreia do espetáculo da companhia anfitriã do evento, a Erva Daninha, com "Ready" a ser apresentado nos dois dias, às 21 horas, na Praça D. João I. A organização do ciclo Trengolas teve por objetivo garantir a programação prevista para o Festival Trengo e ainda reforçar com mais de 40 artistas e técnicos residentes em Portugal que, devido à ausência de trabalho nos últimos meses, viram a sua atividade ser fortemente prejudicada.

Ars Electronica Porto Garden by FNDMT

09/09/2020

O programa da edição regional do Porto, desenvolvido através da empresa OFundamentO (FNDMT), companhia irmã da ThePowerHouse, fundada por Lisa Lang, contempla seis momentos-chave, que serão libertados no espaço virtual ao longo dos próximos dias. Os temas que constam do alinhamento do primeiro Ars Electronica Porto Garden by FNDMT vão convocar os participantes a discorrer sobre "Como encontrar oportunidades no caos", a refletir "O impacto social e a ética na inteligência artificial" ou até a identificar quais os materiais mais propícios a uma viagem espacial, desafiando os intervenientes da mesa redonda a apresentar soluções flexíveis e inovadoras. O último painel, "Porto: Welcome to the city of makers, your place for creative enterprises." (Porto: Bem-vindos à cidade dos fazedores, o local ideal para as empresas criativas), que será lançado no próximo domingo, dia 13, a partir do site e das redes sociais do evento, conta com a participação do vereador da Economia, Turismo e Comércio da Câmara do Porto, Ricardo Valente, do presidente do Porto Tech Hub, Luís Neves, da mentora do projeto A Marquinista, Patrícia Soares da Costa, além dos "makers" (fazedores) Mário Silva, da galeria Lehmann + Silva, Irena Übler, especialista em design industrial e sustentabilidade, e Tauan Bernardo, do VivaLab. A moderação ficará a cargo de Lisa Lang, considerada pela Forbes uma das 50 mulheres mais influentes na tecnologia europeia. O Ars Electronica Porto Garden by FNDMT, cuja ideia foi alimentada durante o período de pandemia por mais duas mulheres empreendedoras que integram a equipa ThePowerHouse, Lívia Pinent e Joana Lacerda, conta com o apoio do Município do Porto.

URBAN MARKET • MEET DESIGNERS & MAKERS

Até 19/09/2020

Setembro chegou, e com ele trouxe duas edições do Urban Market. Para muitos Setembro sempre foi um mês de recomeços. Este vai ter um sabor especial, é o regresso após 7 meses à escola, ao trabalho. É uma boa altura para carregar no botão de reiniciar. O Urban Market volta a uma casa que nos acolhe há 7 anos, desta vez, com duas edições no bonito mainfloor do Hard Club. Nos fins de semana de 12 e 13, e 19 e 20 de Setembro ocupamos o emblemático mainfloor do Hard Club. Durante estes dois dias acompanham-nos, sempre com excelente música, os bonitos “Sunsets na esplanada”. Nestes dias a música estará entregue a diversos Dj’s, já conhecidos no panorama Portuense. Dia 12 – SIMONE e Dia 19 – GHETTHOVEN Nesta edição vamos juntar-nos ao Hard Club e apoiar a recolha de alimentos para a União Audiovisual. Esta ação serve única e exclusivamente para ajudar quem trabalha no ramo audiovisual e que precisa de bens alimentares. A quem nos visita deixamos aqui o apelo para trazerem alguns bens alimentares ao Hard Club, durante os dois dias do evento. Respeitando as regras impostas pela DGS, visitem-nos e tragam a vossa melhor máscara.