YOKO ONO | O JARDIM DA APRENDIZAGEM DA LIBERDADE

30/05/2020

Yoko Ono: O jardim da aprendizagem da liberdade é uma vasta exposição dedicada ao trabalho da icónica artista Yoko Ono, que reúne objetos, obras em papel, instalações, performances, gravações em áudio e filmes, além de materiais de arquivo raramente vistos. A mostra apresenta um abrangente panorama da multifacetada produção desta artista pioneira da arte conceptual e da performance que durante os primeiros anos de sua extensa carreira viveu entre Nova Iorque, Tóquio e Londres, tendo tido um papel precursor no desenvolvimento do conceptualismo, da arte performativa e do filme experimental a nível internacional. Ideias, mais do que materiais, são a principal componente do seu trabalho. Muitas dessas ideias são poéticas, absurdas e utópicas, enquanto outras são específicas e práticas. Algumas são transformadas em objetos, enquanto outras permanecem imateriais. Frequentemente, a obra reflete o sentido de humor da artista, bem como sua postura marcadamente sociocrítica. O ponto de partida para muitos dos trabalhos de Yoko Ono encontra-se nas suas Instructions [Instruções]: diretrizes orais ou escritas para os espectadores, que oferecem um conjunto de sugestões e atribuem ao público um papel muito mais ativo do que é geralmente esperado no mundo da arte.

"Playing w/ Stupidity"

22/10/2020

"Playing w/ Stupidity" é resultado de uma colaboração entre os artistas Cardoz (João Cardoso) e Narso (Bernardo Fernandes) e procura retratar a dependência que temos do mundo online, surgindo num momento em que o tema da desinformação e da propaganda política tem vindo a adquirir maior relevância na sociedade. Nesse sentido, o duo pretende que a sua arte, que se desdobra em esculturas e quadros, seja um veículo de consciencialização para o controlo subtil a que todos acabamos por estar sujeitos através dos aparelhos eletrónicos que nos acompanham no dia-a-dia e nos leve a questionar se existe realmente livre arbítrio por detrás das nossas ações. A exposição estará patente em Lisboa, na Rua do Beato n.º 30, de 1 a 18 de outubro, e no Porto, no Hard Club, de 22 de outubro a 8 de novembro.

Cadernos A & B: Prelúdio e Fuga

30/10/2020

O Gabinete do Desenho da Casa Guerra Junqueiro acolhe a exposição "Cadernos A & B: Prelúdio e Fuga", do artista Jorge Feijão. De entrada livre, mediante lotação do espaço, e seguindo o cumprimento escrupuloso das medidas preventivas, a mostra pode ser visitada até 24 de janeiro de 2021. Trata-se de uma oportunidade única para descobrir uma imensa série de desenhos, de pequeno formato, entre o esquiço e o acabado, a luz e a escuridão, a velocidade e a ponderação da mão e do pensamento. Como se nesta exposição do Museu da Cidade, o próprio desenho se revelasse através de uma certa cadência musical. O conjunto de trabalhos que está em exibição constitui-se - faça-se a analogia - como um palimpsesto de motivos que se assemelham a atlas de imagens. Muito utilizado na Idade Média, o palimpsesto era um manuscrito em pergaminho ou papiro, que era regularmente raspado ou apagado para permitir a reutilização do material e a posterior sobreposição de um novo escrito, ainda que se vislumbrassem vestígios do texto manuscrito anterior.

Feira dos Passarinhos

Até 31/05/2021

Feira tradicional, de cariz popular, com alguns anos de atividade, onde pode adquirir aves, enquanto animais de companhia. É permitida, a comercialização de gaiolas, comedouros, bebedouros, poleiros, alimentação e demais artigos necessários para o alojamento, manutenção e criação. Mesmo que a intenção não seja comprar encante-se com os cantares das aves, com as suas cores e o movimento da feira. Ao passar pela feira ninguém escapa ao deslumbramento de olhar o Rio Douro e as pontes.

Feira da Pasteleira

Até 31/12/2020

Venda de diversos produtos, nomeadamente produtos alimentares, roupa, calçado e têxteis lar. Legalizada e relocalizada em 2019. Localização: Rua Bartolomeu Velho

Feira de Numismática e Filatelia

Até 31/05/2021

Local de encontro de vários colecionadores, esta feira tem como objeto a venda e troca de moedas, postais, selos e outros objetos colecionáveis afins. Realiza-se debaixo das arcadas dos prédios que rodeiam a praça.

Mercado de Artesanato do Porto

Até 31/12/2020

O evento realiza-se às sextas e sábados, todas as semanas, na Praça de Parada Leitão.  O Mercado de Artesanato do Porto é uma iniciativa municipal que, semanalmente, reúne os produtos artesanais de cerca de 80 comerciantes. Como se trata de um evento ao ar livre, o seu funcionamento está sempre dependente das condições climáticas.  Local: Praça de Parada Leitão

Mercado da Ribeira

Até 31/12/2020

O Mercado da Ribeira é constituído por 10 lojas, e foi criado após a renovação do antigo mercado. Produtos alimentares na sua vertente tradicional, produtos de interesse turístico e promocionais, e restauração. Localização: Cais da Ribeira (Junto ao pilar norte da Ponte D. Luís I)

Feira de Artesanato da Batalha

Até 31/05/2021

Esta feira começou de uma forma espontânea na Praça da Batalha onde eram comercializados os produtos manufaturados (bijuteria, carteiras, entre outros). Nos anos 90 a Câmara Municipal do Porto regulamentou esta atividade, através da criação da Feira de Artesanato da Batalha.

Mercadinho da Ribeira

Até 31/12/2020

Destina-se à venda de atoalhados bem como outros produtos de promoção turística.

"Waves and Whirlpools" de Luís Lázaro Matos

Até 15/11/2020

Inspirado na forma triangular do espaço da Mezzanine da Galeria Municipal do Porto como uma potencial metáfora do Triângulo da Bermudas, Luís Lázaro Matos irá transportar-nos para um remoinho de imagens caleidoscopicamente suspensas no espaço. Progressivamente interessado nos processos contemporâneos de constante monetização e vigilância no espaço cibernético, o artista tem-se preocupado ultimamente con intersecções entre a leveza da arquitectura moderna de vidro e a transparência das redes sociais. Será esta àrea triangular na Galeria Municipal do Porto não apenas um espaço expositivo, mas também um lugar de desaparecimento? Waves and Whirlpools tem curadoria de Martha Kirszenbaum, curadora do pavilhão de França na 58ª Bienal de Veneza, 2019.

Mercado da Alegria 

Até 27/12/2020

O Mercado da Alegria regressa para mais um dia de muita animação e de boas compras, das 10 às 19 horas, entre as sombras frescas do frondoso Jardim do Passeio Alegre. Porque não recebe só emprestado o nome do recinto que o acolhe, o evento prima pela simpatia dos vendedores, aliado à qualidade dos produtos comercializados, sejam eles de cariz artesanal, peças de joalharia e bijuteria, acessórios de moda, peças de decoração, ou produtos da terra e regionais. Tudo com respeito pelas medidas preventivas para a COVID-19, como não poderia deixar de ser. Com uma localização privilegiada na antecâmara das praias do Porto, o Mercado da Alegria recebe a brisa do mar, sendo um ótimo refúgio nas horas de maior calor. O Mercado da Alegria reúne o trabalho de dezenas de artesãos e vendedores locais, com uma vasta gama de produtos apresentados. O Mercado da Alegria está sempre dependente de condições climáticas favoráveis, uma vez que decorre ao ar livre. 

Cultura e Geografias - Centenário da Faculdade de Letras da Universidade do Porto

Até 27/12/2020

A partir de 6 de dezembro de 2019 e até 27 de dezembro de 2020, o Museu de História Natural e da Ciência da Universidade do Porto (MHNC-UP) acolhe, no seu polo central (Edifício Histórico da Reitoria da Universidade do Porto, à Cordoaria), a exposição Culturas e Geografias. A assinalar o ano comemorativo do seu centenário, a Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP) coorganiza com o MHNC-UP, e em colaboração com o Museu Nacional de Soares dos Reis, uma exposição que dá a conhecer as coleções que integraram o seu acervo museológico e artístico durante a primeira fase da sua existência (1919-1931). Originalmente utilizadas como suportes de ensino em três salas-museu da primeira FLUP, estas coleções que, em 1941, transitaram para a Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, encontram-se agora à guarda do MHNC-UP. Através de um conjunto de 250 peças extraordinárias de arqueologia e etnografia, os visitantes serão convidados a fazer uma viagem ao longo do tempo, durante a qual poderão explorar vivências e rituais das comunidades humanas em cada um dos cinco continentes.

Revolução de 24 de Agosto de 1820: Prelúdio do Liberalismo em Portugal

Até 01/08/2021

Inaugura no Museu Militar do Porto, a exposição "Revolução de 24 de Agosto de 1820: Prelúdio do Liberalismo em Portugal", com curadoria Fernando Gonçalves. Aberta ao público durante dez meses (até 1 de agosto de 2021), a mostra expositiva aviva a bravura de um grupo de notáveis cidadãos do Porto, que dava o primeiro passo para o fim da influência inglesa e a decorrente monarquia liberal há 200 anos. O Norte exigia o regresso do Rei, uma Constituição, a justiça e a prosperidade. Estavam lançadas as sementes do progresso e da modernidade em Portugal e há documentos e peças históricas que comprovam.

Domingos em Forma

Até 28/12/2020

A partir de outubro, o programa municipal Domingos em Forma regressa ao seu formato clássico, com uma sessão de aquecimento no Pavilhão do Lagarteiro seguida de uma caminhada pelos percursos do Parque Oriental da Cidade do Porto, entre as 10 e as 11 horas. Devido às restrições sanitárias, as atividades limitam-se nesta fase a 20 participantes, divididos em dois grupos de 10. Os interessados em participar devem enviar um email com nome, idade e domingo pretendido para desporto@agoraporto.pt e aguardar confirmação. Desaconselha-se a participação a grávidas e a pessoas com mais de 60 anos ou com doenças crónicas.

Hugo Canoilas

Até 21/02/2021

12 €

Especificamente concebida para a sua Galeria Contemporânea, a primeira exposição de Hugo Canoilas (Lisboa, 1977) no Museu de Serralves confirma e expande algumas das preocupações que melhor definem a prática deste artista: a especulação sobre as relações entre arte e realidade (eventos políticos e sociais), a interrogação sobre as características e limites da pintura, e a ênfase conferida ao trabalho colaborativo. Com formação em pintura, Canoilas tem vindo a examinar o lugar deste meio artístico, a forma como ele é percecionado quer por visitantes de museus quer por transeuntes (o artista é conhecido por intevenções no espaço público que nunca são anunciadas como obras de arte). No caso desta exposição em Serralves, Canoilas prescinde do lugar onde mais naturalmente esperamos ver pinturas - as paredes da galeria -, e decide intervir no chão, no rodapé e no teto da Galeria Contemporânea - espaços negligenciados por quase todas as exposições de pintura. No chão apresentam-se três peças em vidro colorido que representam medusas. Realizadas na Marinha Grande, estas águas-vivas - possíveis símbolos do aquecimento climático, mas também das ideias de informe e de metamorfose na origem de vários trabalhos de Hugo Canoilas - devem poder ser pisadas pelos visitantes da exposição. O protagonismo conferido ao solo é confirmado pelo rodapé-pintura (em forma de caixa de luz, com uma pintura em linho no exterior esticada como uma tela, delimitando o espaço da exposição) em que o artista dá visibilidade a um elemento arquitetónico tão comum quanto despercebido. Já no teto da sala, Hugo Canoilas criará uma pintura gestual que, à imagem das suas mais recentes pinturas abstratas, parte de imagens da flora e fauna do fundo do mar. Saliente-se que a pintura também funciona como uma caixa de luz que cria uma aura na sala, afetando a perceção das medusas. As medusas sáo animais fascinantes, que ao longo dos seus invulgares ciclos de vida passam por várias metamorfoses, reproduzem células de formas inusitadas. A sua observação, que testemunha variações dramáticas de configuração, desafia todas as conceções de estabilidade, todas as ideias sobre a relação entre as partes e integralidade. Exatamente como esta exposição de Hugo Canoilas, composta de três elementos distintos - Chão, rodapé e teto - que se afetam mutuamente (em cooperação, simbiose competição, predação e parasitismo) e que é exemplar de uma prática artística que não se cristaliza numa forma, mas que constantemente se interroga nos seus limites, funções e pressupostos.

A Arte do Falso

Até 23/12/2020

Mais de 200 quadros falsificados, apreendidos nos últimos 15 anos pela Diretoria do Norte da Polícia Judiciária (PJ), estão em exposição na Alfândega do Porto. "A Arte do Falso" reúne não só obras contrafeitas de nomes como Picasso, Júlio Pomar, Cesariny, Malangatana, Amadeo Souza Cardoso, como também objetos insólitos, que revelam a genialidade dos criminosos. Entre falsificações de notas, guarda-chuvas que se transformam em armas, a quadros expostos em leilões de galerias de arte que tinham passado pelo crivo de especialistas, a exibição reserva muitas surpresas, entre elas uma máquina que teria o dom de curar as pessoas ao simples acender de umas luzes. As obras falsas expostas ao público foram sendo localizadas pelos inspetores da PJ, principalmente nas áreas urbanas de Lisboa e Porto, em galerias de arte, leilões, feiras, exposições e antiquários. Na mostra existe ainda um espaço dedicado aos mais novos, onde podem colher impressões digitais e compará-las em diferentes superfícies.

R. H. Quaytman

Até 21/02/2021

12 €

R. H. Quaytman emprega técnicas de reprodução mecânica e tradições da arte conceptual para criar séries fechadas de obras divididas em capítulos. As partes subsequentes são numeradas para marcar a passagem do tempo e o gradual completar da vida e do projeto artístico. A artista trata todas as exposições e pinturas apresentadas como um empreendimento criativo. R. H. Quaytman aborda a pintura como se fosse poesia: ao ler um poema, repara-se em palavras específicas, apercebemo-nos de que cada palavra ganha uma ressonância. As pinturas de Quaytman, organizadas em capítulos estruturados como um livro, têm uma gramática, uma sintaxe e um vocabulário. Enquanto o trabalho é delimitado por uma estrutura rígida a nível material - surgem apenas em painéis chanfrados de contraplacado em oito tamanhos predeterminados resultantes da proporção áurea -, o conteúdo de final aberto cria permutações que resultam num arquivo sem fim. A prática de Quaytman envolve três modos estilísticos distintos: serigrafias baseadas em fotografias, padrões óticos, como moiré e tramas cintilantes, e pequenos trabalhos a óleo pintados à mão. O trabalho de Quaytman, apresentado pela primeira vez em Portugal, aponta para as novas possibilidades da pintura de hoje, o que é uma pintura, um ícone? Quais são os meios da pintura numa cultura saturada pela estimulação visual, da fotografia à floresta digital dos signos? A pintura aina é um meio relevante para partilhar a nossa história? A exposição é coorganizada pelo Muzeum Sztuki in Lódz, Polónia, e pela Fundação de Serralves - Museu de Arte Contemporânea, Porto. Comissariada por Jaroslaw Suchan.

Manoel de Oliveira Fotógrafo

Até 18/04/2021

12 €

As mais de cem fotografias que se apresentam na exposição Manoel de Oliveira Fotógrafo são uma das grandes surpresas que o arquivo pessoal do realizador, integralmente depositado em Serralves, reservava. Produzidas entre os finais de 1930 e meados dos anos 1950, estas imagens, guardadas durante várias décads e na sua maioria inéditas, revelam uma faceta desconhecida de Oliveira e abrem novas perspectivas sobre a evolução da sua obra. A passagem de Manoel de Oliveira pela imagem estática é uma etapa determinante do seu percurso como cineasta. Em diálogo tanto com o pictorialismo como com o construtivismo e com as experiências da Bauhaus, as suas fotografias estão a meio caminho entre a exploração dos valores clássicos da composição e o espírito modernista que animou toda a primeira fase da sua produção cinematográfica. Investida, quase sempre, de propósitos artísticos, a fotografia é para o realizador um instrumento de pesquisa formal e de experimentação, uma obra de modalidade para interrogar, muitas vezes um relação direta com os filmes, a construção de uma linguagem visual própria. As imagens que agora dão a conhecer acrescentam, certamente, um novo capítulo à história da fotografia portuguesa dos anos 1940. Mas elas constituem, também, um precioso instrumento para enquadrar o modo como Manoel de Oliveira passa a assegurar, durante um período de dez anos, a direção de fotografia dos seus próprios filmes, bem como para contextualizar, numa perspetiva mais ampla, o rigor de composição que, de uma maneira geral, caracterizam todos os seus filmes. Olhando para estas imagens, não interessará muito saber onde começa o fotógrafo e onde acaba o cineasta, nem definir, com precisão, até que ponto o primeiro poderá ter tomado por vezes, o lugar do segundo. Importará, sim, questionar o modo como esta convivência estre dois modos de ver e de pensar se corporiza na obra de Manel de Oliveira. Curadoria de António Preto, Diretor da Casa do Cinema Manoel de Oliveira. Todas as fotografias expostas pertencem ao Acervo de Manoel de Oliveira, Casa do Cinema Manoel de Oliveira - Fundação de Serralves, Porto.

Porto Legends - The Underground Experience

Até 10/01/2021

12 €

"Porto Legends: The Underground Experience" é um evento audiovisual que vai dar a conhecer dez lendas relacionadas com a história da cidade do Porto. O espetáculo será apresentado de terça-feira a domingo, entre as 10 e as 19 horas, nas Furnas da Alfândega do Porto. A mais recente criação do ateliê português OCUBO, especialista na realização de projetos de vídeo mapping, estreia nas Furnas da Alfândega do Porto. O espetáculo vai dar a conhecer, através de uma experiência imersiva, dez lendas relacionadas com a história da cidade do Porto, inspiradas no livro do historiador Joel Cleto, "As Lendas do Porto". O projeto Porto Legends - The Underground Experience contou com 70 atores, 120 figurinos e 30 artistas de vídeo, recorrendo a 50 projetores de vídeo de alta definição, estrategicamente instalados nas paredes, no chão, nos tetos, nas colunas e nos arcos das Furnas da Alfândega do Porto. As dez lendas que constituem o espetáculo são narradas por Pedro Abrunhosa, na versão portuguesa, e pelo galardoado ator britânico Jeremy Irons, na versão inglesa. Ao longo de 45 minutos, serão contadas lendas como as de Pedro Cem, Zé do Telhado, Barrão Forrester, as famosas tripas à moda do Porto, o mistério do Tesouro da Serra do Pilar; o violento Cerco do Porto, o Terramoto de 1755 ou a do fantasma da Estação de São Bento. O público é convidado a circular livremente durante o espetáculo, numa experiência de 360º inédita a nível mundial. Porto.CARD - A NÃO PERDER! Aproveite o Porto.CARD e tenha descontos nas entradas: Bilhete Inteiro: 2€ de desconto / PACK DE DOIS: 3€ de desconto Bilhete reduzido: 1€ desconto /PACK DE DOIS: 1,5€ de desconto

Impressive Monet & Brilliant Klimt

Até 10/01/2021

9 €

Impressive Monet é uma reinterpretação das obras de arte de um dos impulsionadores do impressionismo que mostra o que está para além da moldura, através de uma viagem pelo mundo de artista e pela sua busca interminável pela captura da luz. O público será imerso pelo movimento impressionista do artista e envolto pelas linhas e cores que fazem parte do mundo de Monet. Brilliant Klimt traça o percurso pelos aspetos biográficos e pelo legado artístico do artista austríaco através da sua pintura icónica - O Beijo. Este será o fio condutor da viagem pelo trajeto artístico ao mesmo tempo que são exploradas as influências do mundo de Klimt. O público ficará na intimidade de Klimt e sentir-se-á imerso pela arte romântica do artista.

50 Anos de fotografia - 1970-2020 de Alfredo Cunha

Até 02/05/2021

Este Alfredo Cunha de quem se fala é o homem com a sua câmara e o seu olhar. Qualquer bom fotojornalista intui, antes de o saber claramente, que uma imagem, que deve encerrar todo um conteúdo e uma sedução, é, sempre foi, um momento decisivo. Antes de ser definido por Cartier-Bresson, já existia na mente de quem fotografa o acontecimento, o rosto e o movimento. Na longa carreira de 50 anos de Alfredo Cunha, muita coisa mudou: o país que fotografa; o equipamento que usa — já longe da primeiríssima Petri FT, da Leica M3, que começou a usar em 1973, e das Leicas que se seguiram e a que se manteve sempre fiel; o suporte — do analógico, maioritariamente preto e branco, ao digital, que pratica desde 2003. A imagem fotojornalística responde à exigência de concordância com o texto, também se liga ao onde, quando, como e porquê. Porém, quando o fotógrafo já definiu o seu estilo — e é esse o caso de Alfredo Cunha —, a sedução da imagem sobrepõe-se à sedução da notícia. Em todas elas se torna difícil associar a imagem a um estilo pois Alfredo Cunha ultrapassa a corrente do momento e o tema. E é neste sentido que podemos dizer, com Barthes, que as suas fotografias resultam sem código, dependem da transmissão do seu para nosso afeto. Teresa Siza (texto adaptado)

Festa do Cinema Francês

Até 04/11/2020

3.5 €

De 26 de outubro a 4 de novembro, venha descobrir as pérolas do cinema francês! Antestreias, encontros com realizadores e produtores, filmes para o público geral e sessões dedicadas ao público mais jovem. A Festa do Cinema Francês convida a viajar através da sempre moderna, viva e diversificada produção cinematográfica francesa. Entre o drama e o burlesco, a intervenção social e as obras poéticas, o comercial e o experimental, o desafio é percorrer os seus múltiplos caminhos, feitos de surpresa e emoção.

Curtas Metragens de Ben Russell

01/11/2020

12 €

Organizada em parceria com a Escola das Artes da Universidade Católica do Porto, no âmbito de uma residência artística do realizador Ben Russell, a Casa do Cinema Manoel de Oliveira organiza uma sessão retrospetiva da obra do cineasta experimental e curador norte-americano, composta por cinco curtas-metragens, realizadas ao longo de duas décadas. Optando por obras menos divulgadas, a sessão apresenta-se como uma interrogação sobre a ontologia da matéria fílmica. Com Trypps Number One Russell reduz o meio às suas origens analógicas, explorando as possibilidades do cinema feito sem câmara, a partir de manipulações da própria emulsão da película. Com Terra Incógnita começa a usar uma câmara mas sem lente, produzindo assim imagens em movimento através do sistema pré-cinemático por excelência, a camera obscura. Em Austerity Measures investigam-se as possibilidades dos processos de coloração não padronizados, como metáfora política para a desobediência financeira da Grécia, depois da crise de 2008. Já Workers Leaving the Factory (Dubai), re-imagina o nascimento do cinema, mais de 100 anos depois dos irmãos Lumière, à luz do capitalismo selvagem. Por fim, com The Rare Event (co-realizado com o britânico Ben Rivers), reflete-se sobre o que pode ser o futuro do cinema (e o cinema do futuro), a partir de uma exposição que Jean-François Lyotard deixou por concretizar.

Lorenzaccio

Até 14/11/2020

O Teatro do Bolhão está a levantar um ambicioso tríptico: depois da vida do Grande D. Quixote de la Mancha e do Gordo Sancho Pança, de António José da Silva (O Judeu), e antes de O Mercador de Veneza, de Shakespeare, o centro faz-se com Lorenzaccio, de Alfred de Musset (1834), numa encenação de Rogério de Carvalho. A partir de relatos da história de Florença do século XVI envolvendo o derrube do ducado tirano de Alessandro de Médeci, assassinado pelo primo Lorenzo - depreciativamente chamado "Lorenzaccio" porque frustra os ideais de mudança-, Musset ergue tanto um drama pessoal en torno desta figura, assombrada por uma inquietação hamletiana, como uma crítica a uma sociedade em decadência. Obra crucial do drama romântico francês, tida como irrepresentável ou encenada em versões amputadas, sempre foi um desafio para a companhia, que agora a estreia em Portugal, inspirando-se na sua liberdade formal para lhe corromper as formas dramáticas e os géneros. Espetáculo sobre uma comunidade humana impotente face ao esboroamento do poder e à sua capacidade de dissimulação, Lorenzaccio aspira a ser também um retrato do nosso tempo.

EDP Maratona do Porto Virtual

02/11/2020

9 €

A EDP Maratona do Porto Virtual tem data marcada para a semana de 2 a 8 de novembro, com os principais objetivos de motivar e inspirar a comunidade de corredores, promovendo um estilo de vida ativo e saúdável. Respondendo à solicitação de muitos corredores habituais que pretendiam realizar a prova mítica da EDP Maratona do Porto este ano, a organização procurou porporcionar esta possibilidade mas de uma forma diferente, de uma forma virtual. Assim todos os corredores poderão manter a tradição de participar na prova rainha de todo o calendário de provas de estrada, preservando as regras de distanciamento físico e boas práticas de controlo e regulação da pademia COVID-19. Os participantes podem optar por dusas distâncias: corrida de 42km ou a mini maratona / caminhada de 6km e podem contemplar as distâncias propostas durante toda a semana de 2 a 8 de novembro. Todos os que terminarem a prova vão receber um dorsal digital, um diploma de participação digital e uma fantástica medalha comemorativa física.

Livros são árvores, bibliotecas são florestas

Até 26/12/2020

"Livros são árvores, bibliotecas são florestas" é o nome da exposição desenhada pela equipa de programação do Museu da Cidade. Esta exposição, a primeira de um conjunto de exposições que têm por base o fundo bibliográfico da Biblioteca, inicia-se pelos segredos do mundo subterrâneo e as diversas formas de afloração à superfície - do imaginário rizomático do mundo vegetal e da sua existência híbrida, entre a luz e a escuridão, o mundo do visível e o submundo, a terra e o ar. Apresentando livros, páginas de livros, imagens e sons reminiscentes do mundo natural (a botânica, a biologia, as ciências da natureza, mas também a zoologia), a exposição funda-se numa certa circularidade: cortamos árvores para fazer livros, melhor compreender a natureza e guardar a memória da sua exuberância e infinita sabedoria.

50 assombrosas vistas sobre o Porto de Joaquim Vieira

Até 07/11/2020

"O Porto de Joaquim Vieira não é de modo nenhum um Porto igual ao que todos supomos conhecer ou reconhecer - é um Porto mais animado e surpreendente, a cidade imaginada e imaginária de um artista que nos convida também a usar a imaginação ao percorrermos os seus espaços, não raro deslumbrantes e inconfundíveis." - Arnaldo Saraiva

NO HISTORY IN A ROOM FILLED WITH PEOPLE WITH FUNNY NAMES 5

06/11/2020

Esta é a primeira exposição em Portugal de Korakrit Arunanondchai (Tailândia, 1986), artista que se move entre os campos do vídeo, da performance, da escultura e da instalação e que se divide entre duas culturas: a do oriente, onde nasceu e cresceu e a ocidental, em particular a dos EUA, onde a partir de 2009 estudou artes e onde tem vivido nos últimos anos (alternando com estadas na Tailândia). A obra de Arunanondchai explora e relaciona temas como religião e mitologia orientais, ambiente, ecologia, música, geopolítica e desenvolvimento tecnológico, contrapondo a espiritualidade asiática ao pragmatismo ocidental. Arunanondchai reflecte sobre a vida contemporânea e a situação da humanidade no tempo da tecnologia, especulando sobre as consequências do Antropoceno, era recentemente definida e que marca o efeito da actividade humana enquanto força ambiental dominante no planeta, capaz de alterar a sua composição geológica. Na sua prática, o artista recorre a acontecimentos e experiências de cariz autobiográfico. Em várias obras, amigos e familiares participam e são de alguma forma envolvidos no trabalho. No history in a room filled with people with funny names 5 (2019) é uma instalação feita em parceria com o artista Alex Gvojic (E.U.A., 1984), amigo com quem tem vindo a trabalhar há vários anos. Boychild, artista ligada à performance e à dança que tem regularmente colaborado com Korakrit Arunanondchai, é também uma figura presente nesta obra. No history in a room filled with people with funny names 5 envolve o espectador num ambiente nocturno e misterioso em que uma tripla projeção vídeo é conjugada com raios laser emitidos a partir de uma escultura que sugere uma figura humana jacente. A terra que cobre o chão e a presença de materiais naturais (conchas, ramos) lembram um ambiente pré- ou pós- histórico. No history in a room filled with people with funny names 5 congrega uma grande diversidade de imagens e de sons, criando uma atmosfera excessiva, envolvente e perturbadora. Os vídeos juntam filmagens originais — como as registadas por um drone da estação de rádio de Ramasum Camp, símbolo da história recente da Tailândia enquanto aliada dos EUA durante a guerra do Vietname e agora transformada em destino turístico — e outras pré-existentes, como a transmissão televisiva do episódio mediático do resgate de 12 rapazes e do seu treinador de futebol que ficaram presos numa gruta na Tailândia em 2018. Esta obra foi inicialmente encomendada pelo Centre d’Art Contemporain Genève para a Biennale of Moving Image de 2018 e apresentada na Bienal de Veneza em 2019.

A body that hides also stands

06/11/2020

7 €

Como falar sobre invisibilidade enquanto seres visíveis que somos? Esta foi uma das premissas para desenvolver a peça A body that hides also stands. Através de palavras, desenhos, ações e silêncios, a peça toma a forma de pequenos capítulos que se fundem e se compõem: um livro. Um livro A5, com capa dura amarela e 95 páginas. - Marta Ramos

ESTRO / WATTS Poesia da idade do Rock

Até 08/11/2020

9 €

Estro, do grego antigo oîstros, e pelo latim oestrus, significa inspiração, entusiasmo, fúria poética. Estro é também o título para um espetáculo com direção de Gonçalo Amorim e Paulo Furtado. O Teatro Experimental do Porto, companhia residente no Teatro Campo Alegre, através do programa Campo Aberto, e presença habitual na temporada do Teatro Municipal do Porto, propõe-se explorar a dualidade da palavra rock e da prática poética. Tal como a Ilíada ou a Odisseia – que se sabe terem sido coletâneas de histórias que se iam contando nas praças, de heróis e de guerras, de paixões – o rock usou a palavra poética para gritar na esfera pública a vida, para convocar todos a falar acerca da morte, da guerra, de amores e desamores, da solidão, das selvas de betão, da experiência da classe trabalhadora e da opressão. Esta dimensão pública, que reúne gente à sua volta, que congrega, contrasta drasticamente com a introspeção que o ato poético exige tantas vezes. Na idade do rock fundou-se um novo lugar na esfera pública para a referência política e estética, um lugar que outrora era ocupado pelo teatro. O que é feito desse património? Onde estão os trovadores? Estro quer devolver ao estilo o estatuto de cancioneiro popular.

Santa Casa - Portugal ao Vivo

Até 19/12/2020

10 €

Este ciclo de espetáculos justifica-se, sobretudo, pela vontade de promover o reencontro entre o público e artistas, numa altura em que o meio artístico e todas as atividades que gravitam em torno deste meio passam por momentos difíceis, sendo este o objetivo central do projeto. O cartaz será 100 por cento português, prometendo trazer ao palco do Super Bock Arena - Pavilhão Rosa Mota o melhor da música e da comédia nacional. Xutos & Pontapés, Mariza, Rui Veloso, Amor Electro, Aurea, Jorge Palma, Diogo Piçarra, Carminho, Dino Santiago, Mafalda Veiga, Paulo Gonzo, Camané e Mário Laginha, Plutonio, Richie Campbell, Fernando Rocha, Moonspell, Anjos e David Carreira são alguns dos artistas confirmados. De modo a garantir a segurança de todos, cada espetáculo é pensado com base no cumprimento rigoroso das normas impostas pela Direção Geral de Saúde (DGS). O uso de máscaras é obrigatório, num espaço delimitado para o efeito, onde todos os lugares estarão identificados, cumprindo o distanciamento obrigatório entre os espectadores que não façam parte do mesmo agregado. Para evitar qualquer tipo de congestionamento entre pessoas, todas as entradas e saídas terão circuitos próprios com a devida sinalização.

Sinfonia Heróica

06/11/2020

7.5 €

Na sua Terceira Sinfonia, Beethoven virou uma página da História da Música, abrindo o caminho ao Romantismo. "Eis aqui, posta em música pela primeira vez, a vitória exaltante e irada do Homem sobre o Destino, obsessão de Beethoven", disse o musicólogo Roland de Candé referindo-se à Sinfonia Heróica. Com dimensões sem precedentes e uma intensidade dramática imcomparável a qualquer composição anterior, permanece um marco no repertório e uma das preferidas do grande público. A antecedê-la, neste concerto, uma das primeiras sinfonias do compositor que se considera o criador deste género musical. Haydn seria um dos mestres a quem Beethoven recorreu quando estudava composição, mas a sinfonia aqui apresentada precede em três décadas esse encontro em Viena.

Feira de Vandoma

Até 27/12/2020

Uma das feiras mais emblemáticas da cidade, destina-se exclusivamente à venda de objetos usados, designadamente roupas, louças, mobiliário e artigos decorativos, discos, livros, aparelhos elétricos e/ou eletrónicos, utensílios domésticos e de trabalho (ferramentas). Localização: Avenida 25 de abril

Dias com Energia

Até 31/12/2020

Terminado o verão, o programa municipal Dias com Energia abriga-se do frio e regressa ao interior, passando a disponibilizar aulas gratuitas de pilates, ioga e tai chi, todos os sábados de manhã. Devido ao contexto sanitário do momento, as atividades implicam agora inscrição origatória, vagas limitadas e distanciamento entre participantes. Para além das habituais aulas no Pavilhão Fontes Pereira de Melo, o programa vai estar agora disperso por mais três pavilhões - Largateiro, Nicolau Nasoni e Viso. A participação nas aulas continua a ser gratuita e aberta a todos, embora a atividade não seja recomendável a grávidas, pessoas com mais de 60 anos ou com doenças crónicas.

Na Terra de Ana Brígida

Até 03/01/2021

"Na Terra" é uma exposição de Ana Brígida, vencedora da Bolsa Estação Imagem 2019 Coimbra, com a proposta de trabalho sobre as comunidades e eco-aldeias de estrangeiros e portugueses que repovoam o interior desertificado da região de Coimbra. "Esta é uma história de amor entre o homem, a natureza e os animais. Desde há muito que o interior se despovoa, seja pela falta de interesse na continuação do trabalho no campo, seja pela utopia das cidades de uma vida mais cheia e rica. O êxodo para as metrópoles deixou aldeias ao abandono, casas em ruínas, terras tomadas pela natureza e à mercê dos incêndios. Mas a vivência desligada da terra, a massificação urbana e uma sociedade virada para o consumo e para a tecnologia trouxeram também o interesse de muitos em voltar para a calma do interior. Procuram a vida perdida de gerações anteriores e dão-lhe uma nova energia e significado. Vêm com o sonho de viver mais perto da natureza, tratar dela. Viver de uma forma mais sustentável e onde o círculo de utilização é completo. Usar o que a terra dá, para comer, construir, curar e meditar." (…) ANA BRÍGIDA, Março de 2020

Treetop Walk

07/11/2020

12 €

O Programa regular para o público geral contempla visitas orientadas ao Treetop Walk, com a duração de 1h, que terão como objetivo dar a conhecer, através de uma experiência singular orientada por educadores do Serviço Educativo de Serralves, a biodiversidade do Parque. Estas poderão ser orientadas em português, francês e inglês. É obrigatória a inscrição até às 17h da véspera do evento, para o email: m.tavares@serralves.pt.

Alexander Stretile

07/11/2020

5 €

ALEXANDER STRETILE iniciou os estudos de piano aos 3 anos, na Ucrânia, com a professora Olga Hehelskaya. Em 2010, começou a frequentar a Escola de Música do Conservatório Nacional, onde estudou com Hélder Entrudo. Seguiu com os estudos na Universidade de Aveiro, com a professora Shao Ling. Desde 2016 que estuda com Manuel Araújo. Vencedor de diversos concursos nacionais e internacionais a solo, obteve primeiros prémios em concursos como o de Tchaikovsky em Kamyanka, Cidade do Fundão, Encontro Internacional de Piano de Sardoal e prémio Frederico de Freitas. Também se apresenta em contexto de música de câmara, conquistando diversos prémios com o trio TianoPrio e tendo representado Portugal no festival em Craiova e em contexto de piano duo, obtendo um terceiro prémio no Concurso Internacional de Piano, em Taiwan.

O Fado Subiu ao Céu

07/11/2020

10 €

O Fado subiu ao céu é uma forma de homenagem aos grandes nomes do fado que já partiram. Nomes como Alfredo Marceneiro, Fernanda Batista, Maria Teresa de Noronha, Manuel de Almeida, Beatriz da Conceição, Vasco Rafael, Berta Cardoso ou a Grande Amália, entre tantos outros. O Fado subiu ao céu conta com a participação de uma nova geração de fadistas que recuam no tempo e dão uma nova interpretação aos fados. Um espetáculo que já foi apresentado em 2019 na Igreja de Santo Estevão, no Santa Casa Alfama e agora é adaptado para a sala do Teatro Sá da Bandeira. Este é também o regresso da rádio Festival aos espetáculos.

ECOLOGIA SOCIAL?

07/11/2020

6 €

Estetoscópio é um programa onde se procura auscultar um cinema que, no cruzamento com a estética, a política e a sociologia, se confronta com os dilemas do presente. Nesta segunda edição, em diálogo com a exposição de Korakrit Arunanondchai em Serralves, reflete-se sobre os problemas da ecologia social, da sustentabilidade e do impacto da globalização sobre o ambiente. Duas sessões que procuram investigar o modo como as contradições da sociedade de consumo vêm sendo retratadas no documentário contemporâneo. Programa 7 NOV | 17:00 PAINTING WITH HISTORY IN A ROOM FILLED WITH PEOPLE WITH FUNNY NAMES 3 USA, TH, FR | 2015 | 24 min. Korakrit Arunanondchai #67 FR | 2012 | 4 min. Jean-Gabriel Périot ALL INCLUSIVE SW | 2018 | 10 min. Corina Schwingruber llic WASTE NO.5 THE RAFT OF THE MEDUSA FIN | 2018 | 18 min. Jan Ijäs 8 NOV | 17:00 CONTAMINATED HOME GR, JP | 2014 | 25 min. Nina Fischer, Maroan el Sani TERRITORY UK | 2015 | 17 min. Eleanor Mortimer MY BBY 8L3W GR, FR | 2014 | 3 min Neozoon ALL THAT IS SOLID FR | 2014 | 15 min. Louis Henderson

Alexandre Tharaud

07/11/2020

7.5 €

Um recital que celebra a música na Corte de Versalhes. Artista exclusivo da editora Erato, Alexandre Tharaud é uma figura singular da música clássica e um expoente do pianismo francês. A sua discografia conta mais de 25 títulos a solo e percorre repertórios desde o Barroco ao século XX - a maior parte dos quais premiada pela imprensa especializada. Neste concerto inserido no festival À Volta do Barroco, Tharaud presta tributo a compositores associados às cortes dos reis Luís XIV, XV E XVI de França, um programa que deu forma também ao disco Versailles, editado há precisamente um ano.

Todas as coisas Maravilhosas

Até 08/11/2020

18 €

Ivo Canelas leva ao Porto uma interpretação a solo dum texto sobre a depressão, que lhe valeu o prémio em 2019 de melhor interpretação a solo pelo Prémio Público. Escrito pelo britânico Duncan Macmillan, Todas as Coisas Maravilhosas estreou no prestigiado Fringe Festival em 2013 e já foi apresentado em diversos países. Neste espetáculo imersível fala-se de temas sérios: a depressão, as crises existenciais, a família e o amor são alguns deles. Tudo se baseia numa lista criada por uma criança de sete anos sobre as melhores coisas da vida para fazer face à depressão da sua mãe, onde o público tem um papel activo na exploração do texto e da temática. "Durante uma hora e meia somos todos iluminados. Verdadeiramente imperdível". - Rui Zink

Suites de Bach

08/11/2020

7.5 €

No período Barroco, Suite ou Partita era um conjunto de danças unidas numa obra única e que não se destinava a ser dançada, sendo escrita antes de tudo para ser ouvida. Bach escreveu peças deste género para instrumentos a solo como o violino, o violoncelo ou o alaúde, mas também para orquestra. O compositor francês Philippe Manoury inspirou-se na ideia de diversidade e liberdade que está associada a esta forma e escreveu partitas dedicadas a instrumentos de cordas. Composta em 2016, a B Partita junta violino, electrónica e ensemble e é dedicada a Pierre Boulez, mestre de Manoury e grande referência da música francesa. O concerto inicia-se com a estreia mundial de uma obra encomendada a Nuno Lobo, Jovem Compositor em Residência na Casa da Música em 2020.

Porto: a cidade em tempos de Covid-19

Até 29/11/2020

Entre março e setembro de 2020 o arquiteto Mário Mesquita, investigador e Professor na Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto, realizou, de uma forma sistemática, uma série de reportagens fotográficas diárias que retratam a cidade do Porto no período da pandemia. Este material iconográfico, produzido em formato digital, tem vindo a ser publicado no Facebook e tem despertado o interesse de muitos que acompanham as dinâmicas urbanas, no caso concreto, em tempos de contingência sanitária, numa realidade de excepção desde a declaração do Estado de Emergência até à situação actual de “novo normal”. Este registo diarístico explora as potencialidades da representação visual de uma situação sobre a qual se pensa haver lugar para uma reflexão crítica que o tenha como base, possibilitando, no âmbito de um serviço educativo de uma instituição (CPF) que privilegia a imagem como linguagem, discutir a cidade e as suas representações numa perspectiva de análise do presente, mas sobretudo numa tentativa de equação do que pode significar a adaptação da cidade a um futuro absolutamente incerto. Assim sendo, dar-se-á corpo a uma instalação visual com 3 projectores portáteis a exibir em looping a selecção temática (cidade, território e sociedade) nas 3 paredes da sala afeta à Extensão Cultural e Educativa do CPF.

Música Luminosa

10/11/2020

7.5 €

A Orquestra Barroca e o Remix Ensemble reúnem-se num concerto partilhado inteiramente dedicado à música francesa, interpretando artistas que desafiaram as convenções da sua época. O concerto inicia-se com a abertura da ópera Zoroastre de Rameau, em que o compositor introduziu um grande número de inovações. Ao ouvirmos os primeiros compassos da obra seguinte, bem poderíamos estar perante um número do catálogo do Remix Ensemble. Na verdade, trata-se de uma peça com quase três séculos do revolucionário Rebel que retrata a criação do mundo e inclui um arrojado cluster inicial que ainda hoje nos espanta. A segunda parte conta com um pianista que é uma autoridade na interpretação de música nova, Nicolas Hodges. A obra de Philippe Manoury que vem apresentar em estreia nacional expõe os contrastes que emergem de uma forma tipicamente barroca, a Passacaglia – uma estrutura estática como base para um discurso em permanente evolução. A terminar, regressamos à natureza e aos elementos sugeridos na primeira parte, desta vez com uma peça nascida do deslumbramento de Debussy pela liberdade e pela beleza do mar. Obra central do Impressionismo musical, La mer será apresentada numa recente versão para orquestra de câmara de Joolz Gale.

NOISERV - Uma Palavra Começada Por N

12/11/2020

8 €

Noiserv, multi-instrumentista a quem já chamaram “o homem-orquestra” ou “banda de um homem Só”, conta no seu currículo com o bem-sucedido disco de estreia “One Hundred miles from thoughtlessness” [2008], o EP “A day in the day of the days” [2010], o galardoado “Almost Visible Orchestra”, que foi distinguido como melhor disco de 2013 pela Sociedade Portuguesa de Autores, e, ainda em 2016, o longa-duração “00:00:00:00” que é descrito pelo músico lisboeta como “a banda sonora para um filme que ainda não existe, mas que talvez um dia venha a existir”. Noiserv regressa em 2020 às edições discográficas com um trabalho escrito inteiramente em português. “Uma Palavra Começada Por N” assume um tom mais confessional que os registos anteriores e aproxima-se ainda mais do ouvinte através da sonoridade que sempre o caracterizou aliada à sua língua materna.

CCN - Ballet de Lorraine

Até 14/11/2020

12 €

Merce Cunningham, um dos maiores artistas americanos, cuja carreira de sete décadas se distinguiu pela constante inovação e expansão das fronteiras das artes performativas, regressa ao Porto, num programa apresentado pelo CCN - Ballet de Lorraine, em comemoração do 100º aniversário do seu nascimento. Cunningham, que criou mais de 200 obras, parcialmente em colaboração com John Cage na música e Robert Rauschenberg na cenografia, desenho de luz e figurinos, renovou radicalmente o panorama da dança e apresenta-se no Teatro Rivoli num ciclo feito de ícones, após assistirmos aos trabalhos de Lucinda Childs e Trisha Brown em fevereiro de 2019. For four walls Trata-se de uma peça de juventude, plena de emoções. For four walls é um desejo de viajar pela divisão, pelo indivíduo e pela história que partilhamos. A divisão é um espaço rodeado de espelhos que tanto dá a impressão de ser fechado como não, consoante as situações. Definindo o infinito, atravessando-o ou pretendendo ser um espaço de reflexão, é um lugar para nos lembrar que pertencemos a esses espaços interligados e às suas temporalidades. For four walls é um não-lugar, vulnerável, em perpétuo movimento. RainForest O título para RainForest surgiu das memórias de infância de Cunningham sobre o noroeste e a floresta da Península Olímpica, nos Estados Unidos. A peça de 1968 inclui a instalação Silver Clouds de Andy Warhol - uma grande quantidade de balões Mylar em forma de almofada, que flutuam livremente no ar, envolvem os seis corpos e lembram essa densa floresta tropical. Para dar aos figurinos uma aparência mais crua, Jasper Johns cortou com uma lâmina de barbear os collants e calças cor de pele dos intérpretes. A música é da autoria de David Tudor, na sua primeira colaboração com a companhia do coreógrafo e evoca o chilrear e o tagarelar de pássaros e animais. Sounddance Sounddance é considerada uma das peças mais amadas de Merce Cunningham, tanto pelo público como pela crítica. Cunningham criou a Sounddance após uma temporada de nove semanas no Ballet Opera de Paris, em 1973, onde compôs Un Jour ou Deux. Esta obra é um caos organizado, rápido e vigoroso, contrariando a uniformidade e o uníssono do ballet. O palco é dividido ao meio por uma delicada cortina dourada, desenhada pelo artista Mark Lancaster, acrescentando um sentido à coreografia frenética e feita de sobreposições, como se estivéssemos a assistir um cosmos de dança em miniatura através de um microscópio. Os bailarinos entram no palco empurrados pela cortina e saem como que sugados por ela e pela poderosa composição sonora de David Tudor.

Fado À Mesa

Até 13/11/2020

39.5 €

Mensalmente, o Restaurante Casa da Música torna-se uma verdadeira Casa de Fados, em que o fado é “servido à mesa” por intérpretes de eleição, honrando a nossa melhor tradição, mas também a contemporaneidade da canção portuguesa por excelência.

Mercado Biológico do Parque da Cidade

Até 27/12/2020

Venda de produtos de agricultura biológica.

Mercado Porto Belo 

Até 31/12/2020

Quem visitar a Praça de Carlos Alberto encontrará um dos primeiros mercados de rua a surgir na cidade, com ofertas variadas: discos de vinil, ilustrações, cadernos e livros, cosméticos naturais, bijutaria, mel e massa fresca, chás e ervas aromáticas, cerâmicas, brinquedos de madeira ou artigos de decoração.  O mercado, de acesso livre, tem sempre música ambiente e ainda um pequeno espaço de conforto para os visitantes relaxarem.  Como o evento se realiza ao ar livre, está sempre dependente de condições climáticas favoráveis. 

Inaugurações Simultâneas de Miguel Bombarda

Até 17/11/2020

Estava marcada para sábado, dia 14 de novembro, a última edição de 2020 das Inaugurações Simultâneas, no Quarteirão de Miguel Bombarda. Com o recolher obrigatório decretado para as tardes do fim de semana, o convite à visita às galerias de arte contemporânea transita para terça-feira, 17 de novembro, e estende-se até janeiro, no horário de funcionamento de cada espaço. A animação de rua que costuma acompanhar o evento, essa sim, terá lugar já este sábado, transferida uma vez mais para a página de Facebook da Ágora. O Bombarda em Casa — nome dado a este formato alternativo — vai apresentar três oficinas de "artes e ofícios" e uma conversa sobre desenho e processo criativo. Algumas galerias vão apresentar novas exposições, outras prolongam as que estão já patentes. Em paralelo, os espaços comerciais e alternativos do quarteirão mais criativo da cidade estão a preparar novas coleções, sugestões de design ecológico e sustentável, moda e acessórios com design e produção nacional, joalharia contemporânea de autor, objetos de decoração e iluminação personalizados, cabazes de Natal, doces, vinhos e produtos da época.

O Génio de Mozart

14/11/2020

7.5 €

A imaginação e a genialidade de Mozart dominam este concerto que junta a Sinfónica, o Coro e quatro solistas a um dos grandes maestros da actualidade. Destaque, desde logo, para a Missa da Coroação, uma obra coral-sinfónica escrita em 1779 para a Catedral de Salzburgo, onde terá sido apresentada pela primeira vez nas celebrações da Páscoa. A Missa acabaria por tornar-se a música escolhida para coroações imperiais e reais. Este concerto começa com uma das peças mais ilustrativas da associação de Mozart à Maçonaria e encerra com a célebre Sinfonia Júpiter, aquela com que o compositor se despede das grandes obras para orquestra. Na primeira biografia de Mozart, publicada em 1828, Georg Nikolaus von Nissen não hesitou em afirmar que “a sua Grande Sinfonia em Dó, com a fuga final, é verdadeiramente a primeira de todas as sinfonias. Em nenhuma obra musical o toque divino do génio brilha mais e de forma mais bela”.

Dragõezinhos à Espreita

15/11/2020

5 €

Na véspera dos 17 anos do Dragão, o aniversário do estádio do FC Porto inspira a imaginação e desafia a criatividade.  Com a ajuda de técnicas divertidas e o saber dos mais velhos, as crianças vão explorar formas e cores e desenvolver as ideias artísticas que esta oficina, pedagógica e, ao mesmo tempo, com lugar para a brincadeira, desperta em todos os participantes. Com o brilho dos 17 anos do Estádio do Dragão e os Dragõezinhos à Espreita de também assinalarem mais um aniversário tão especial no calendário portista, este é mais um evento com a marca de referência do Serviço Educativo do Museu FC Porto. Nota - Necessária inscrição prévia até às 12h00 da 5.ª feira anterior à atividade. Evento sujeito a regras de lotação máxima, no âmbito do cumprimento de recomendações das autoridades de saúde.

Visita - Oficina ao Treetop Walk

Até 29/11/2020

12 €

As visitas-oficina para famílias privilegiam a forma como a diversidade do Parque se manifesta ao longo das quatro estações do ano, proporcionando, uma oportunidade única, para a vivência e experiência conjunta, na exploração e conhecimento da biodiversidade e paisagens do Parque de Serralves. Nesta visita-oficina, as famílias serão convidadas a descobrir a diversidade biológica do Parque, orientadas pela equipa do Serviço Educativo Parque, privilegiando alguns pontos-chave do percurso, através da observação, perceção e interpretação da paisagem. Inscrição obrigatória para m.tavares@serralves.pt, até às 17:00 da sexta-feira anterior. Lotação: 10 pessoas

17.º Aniversário Estádio do Dragão

16/11/2020

15 €

A celebração dos 17 anos do Estádio do Dragão convida a descobrir ou rever a história, os segredos e os encantos do centro do universo portista. Mas também é uma oportunidade de conhecer ou regressar ao Museu FC e percorrer os 127 anos de vida do clube português de futebol com maior sucesso internacional! Nesta data tão especial, faz todo o sentido para saber mais sobre a história azul e branca e onde ela acontece, bastando, para isso, a aquisição do Tour FC Porto, necessário para a participação nas visitas temáticas que, em dia de aniversário do Dragão, vão surpreender e conter ainda mais informação sobre o Estádio – como aliás, é tradição! O Estádio do Dragão tem a assinatura de prestígio do arquiteto Manuel Salgado e acumula importantes prémios nacionais e internacionais de arquitetura e gestão ambiental, desde a inauguração, em 2003. As visitas ao Museu e ao Estádio estão disponíveis em diferentes idiomas através da Museu & Tour APP, com conteúdos que proporcionam uma experiência ainda mais exclusiva. Nota – Os três Tour FC Porto temáticos deste dia estão sujeitos a lotação máxima aplicada a todas as visitas ao Estádio do Dragão e no âmbito das recomendações das autoridades de saúde.

Pegada Artística do Dragão

16/11/2020

15 €

No dia em que o Dragão comemora 17 anos, a arte e o requinte do estádio do FC Porto também vão ser celebradas pelo Museu numa visita orientada especial, percorrendo um roteiro artístico no centro do universo azul e branco. A “Valquíria Dragão” (Museu) e a escultura “Sobre Chamas” (Estádio) são duas das várias criações concebidas em exclusivo para o FC Porto que se descobrem no universo azul e branco do Estádio do Dragão e do Dragão Arena. Joana Vasconcelos, Alberto Carneiro, Júlio Resende, Rigo 23, Gémeo Luís, Mr. Dheo e Hazul Luzah são nomes residentes nesta centralidade artística da cidade e fazem parte da Pegada Artística do Dragão, que também segue o traço da arquitetura de Manuel Salgado, criador do estádio e do pavilhão. A participação é gratuita, mas está condicionada a portadores de bilhetes Tour FC Porto e a lotação máxima, aconselhando-se, por isso, inscrição prévia. Nota - Necessária inscrição prévia até às 12h00 da 5.ª feira anterior à atividade. Evento sujeito a regras de lotação máxima, no âmbito do cumprimento de recomendações das autoridades de saúde.

O Balcão

Até 21/11/2020

12 €

“O que há de belo à face da terra é às máscaras que o devemos” “Gostaria que o mundo mudasse para eu ser contra ele.” Jean Genet viveu num estado de permanente revolta. Para ele, o teatro era um lugar “onde todas as liberdades são possíveis”. O Balcão, a sua obra mais ambígua e mais terrível, joga-se no interior de um bordel de luxo, espaço confinado, asséptico e hipervigiado, atravessado por ecos de uma revolução em curso. É com ela que Nuno Cardoso encerra a sua “trilogia da inauguração”, conjunto de três peças que dão corpo à ideia de um teatro de repertório exigente, intemporal, transfronteiriço. Arrancou com um dos textos matriciais da modernidade teatral (A Morte de Danton, de Georg Büchner) e prosseguiu com a revisitação de um cânone da dramaturgia clássica portuguesa (Castro, de António Ferreira). O Balcão densifica alguns dos temas em circulação, como o poder como claustrofobia, os ocasos das revoluções, as sedutoras vizinhanças entre o sexo e a morte. Comédia erótica, drama metafísico, farsa fúnebre? Barroco e indisciplinado, este Balcão, servido por uma tradução da poeta Regina Guimarães, é avesso a formatações. Ele arrisca-se a ser, como sempre em Jean Genet e como sempre em Nuno Cardoso, o palco da nossa imaginação.

Soraia Cardoso

17/11/2020

5 €

A emoção que Soraia Cardoso imprime a cada palavra não deixa ninguém indiferente. Com um timbre quente e a alma recheada de fado, é uma das grandes promessas da nova geração de fadistas. Em 2018 foi concorrente do The Voice Portugal, tendo alcançado um honroso 3.º lugar. Integrou o elenco da Gala de Fado da Rádio Festival no Coliseu do Porto e tem cantado um pouco por todo o país. Recebeu o Prémio Revelação d’A Voz do Operário, na sua 3ª gala de fado.

O Fabuloso Circo de Natal

Até 10/01/2021

9 €

A Magia do Natal chegou à Immersivus Gallery com O Fabuloso Circo de Natal! Uma experiência audiovisual imersiva com vários momentos repletos de surpresas e diversão. O público é guiado para o interior da tenda mágica pela voz do locutor e humorista Nuno Markl, onde a magia do natal acontece com um fabuloso espetáculo. Ao longo do espetáculo, poderá encontrar diversas animações com referências à cidade do Porto, numa animação imersiva, permitindo ao público identificar-se e juntar-se à aventura. O Mágico, o palhaço, a orquestra, animais de toda a parte do mundo, são alguns dos números artísticos que poderá ver no espetáculo. Todas as personagens, o ambiente, animações e hologramas transformam a Immersivus Gallery num verdadeiro circo virtual, envolvendo o espectador nesta experiência imersiva em 360º que é o “O Fabuloso Circo de Natal”.

Fome de Lama

Até 20/11/2020

7 €

Fortemente inspirada pelo trabalho de Josué de Castro, Fome de Lama é uma performance de circo que propõe explorar o equilíbrio interno e externo do Homem na corda bamba. Um desafio constante pela existência, tal um animal faminto onde os instintos são os senhores da psique. Escravas, as suas mãos procuram vida afundando-se na lama. Preso no seu próprio ciclo de miséria e desespero, sobre um emaranhado de raízes, o Homem afoga-se nas águas que formam o mangue. Cercado e suspenso nas cordas, busca libertar-se da permanente luta pela sobrevivência. - Douglas Melo

Entre-Lugar

Até 20/11/2020

7 €

Há um balançar de um trapézio que se assemelha a um metrónomo. No silêncio, uma mulher vestida de branco carrega um emaranhado de corda. Habita entre o céu e a terra, liga os dois pólos. É a linha do horizonte, o elemento Entre. A que domínio pertence este corpo e que peso traz com ele? - Joana Martins

Errance / Frequência #1

Até 20/11/2020

7 €

É a história de um ser que se aproxima com o que se define por figura masculina, vindo de uma frequência atípica e de um passado vivido à hora atual. O tempo desenrola-se sobre si mesmo e a sua perceção não retém a ordem cronológica do termo. Errance significa vaguear, trata de uma trajetória parcialmente infinita, onde a renovação e a descoberta de um terceiro mundo gravita numa atmosfera densa e hipnótica. O acaso encontra-se com o burlesco, numa presença subtil. Absurdas e trágicas consequências vêm degenerar a dança e o gesto acrobático, resultante de conflitos instaurados pelo diálogo entre o corpo e a matéria. Errance/Frequência #1, uma frequência em estado latente num vagueio, uma atmosfera flutuante num cosmos hipnótico-dramático. - Leonardo Ferreira

Porto/Post/Doc: Film & Media Festival

Até 28/11/2020

5 €

O Porto/Post/Doc: Film & Media Festival é um festival do cinema do real do Porto. Entre a cidade e o mundo, a ficção e o documentário, o Porto/Post/Doc apresenta as já habituais competições (Competição Internacional e Competição Cinema Novo), que visam revelar as pérolas mais ocultas do cinema contemporâneo. No programa Transmission, o festival volta a reforçar a ligação da música ao cinema mostrando filmes que tocam e se fazem ouvir, entre biopics ou concertos. E porque olhamos o mundo, mas com os pés assentes em Portugal, o Porto/Post/Doc apresenta ainda uma secção destinada à exibição de filmes falados em língua portuguesa e outra dedicada aos nossos vizinhos espanhóis. O festival vai ocupar vários espaços do Porto, uma cidade histórica e cosmopolita, centro de uma comunidade vibrante.

Beethoven Pastoral

20/11/2020

7.5 €

A Sinfonia n.º 6 de Beethoven foi escrita em 1808 como uma evocação da Natureza e da vida campestre, espelhando as imagens e os estados de espírito que a elas associamos. Ao longo de cinco andamentos, evoca o despertar de sentimentos de alegria pela chegada ao campo, um episódio junto a um riacho, uma alegre reunião das gentes do campo e uma violenta tempestade seguida de um cântico pastoril de acção de graças. Do outro lado do espelho, porém, a Sinfonia Pastoral de Brett Dean, composta na viragem para o nosso século, avisa-nos “sobre o glorioso canto dos pássaros, a ameaça que enfrenta, a perda e o ruído sem alma que restará quando todos eles desaparecerem”.

Os meus sentimentos – Este é o Meu Corpo

Até 22/11/2020

10 €

Este é o Meu Corpo unifica quatro decisivos solos de Mónica Calle e desenha um arco temporal de 28 anos. Neste gesto, a criadora e intérprete revisita, questiona e atualiza um corpo de trabalho, sondando o seu devir. Um corpo físico, pessoal e artístico, mas também um corpo coletivo, sempre construídos em relação com os outros, trabalhando a palavra, palavra feita corpo. Em Os Meus Sentimentos (2013), são as palavras de Dulce Maria Cardoso o que Calle lê e habita como uma segunda pele, num denso solo-fleuve.

Visita sazonal de outono

21/11/2020

12 €

O outono é uma estação que chama a atenção para a transição e renovação dos ciclos de vida. Na Natureza, assiste-se à transformação das árvores, que lentamente despem a sua roupagem verde, dando lugar a uma fascinante paleta de cores! No Parque de Serralves podemos observar este fenómeno em diversas espécies, com especial interesse outonal, como é exemplo o Liquidâmbar. Explorar e experienciar as manifestações que ocorrem no Parque de Serralves durante a visita! Inscrição obrigatória para m.tavares@serralves.pt, até às 17:00 da sexta-feira anterior, mediante receção de comprovativo de pagamento. Lotação: 10 Ponto de encontro: Receção do Museu

Os figos são para quem passa

21/11/2020

7 €

Esta é a história de um urso que, “no princípio do mundo, no tempo em que todos caminhavam sem levar nada consigo”, resolve esperar, sem arredar pé, que os frutos de uma figueira fiquem maduros e prontos para serem comidos. Mas, como diz o título, Os figos são para quem passa. Marta Bernardes faz a leitura encenada do livro de João Gomes Abreu e Bernardo P. Carvalho, editado pela Planeta Tangerina, em 2016, convicta de que, como dizia Natália Correia, "a poesia é para se comer”. E desafia os mais novos: “Agora vamos juntos sonhar e conhecer o real pela boca e pelos pés, saber de outras relações possíveis com o mundo: caminhando pelo sol e pela sombra, mãos abertas, palavras germinando.”

Visita Orientada ao Museu FC Porto

21/11/2020

A descoberta da história do FC Porto é uma viagem fascinante pelos 126 anos de vida do clube. A memória azul e branca é transversal a três séculos e faz parte da identidade portuense e portuguesa, admirada e procurada em todo o Mundo. Conhecer e interpretar todo o legado portista é sempre uma experiência única e marcante, tornando-se ainda mais exclusiva através desta Visita Orientada, que tem a assinatura de qualidade do Serviço Educativo do Museu FC Porto. A participação é gratuita mediante a aquisição de bilhete Tour FC Porto. Conduzida por um Orientador do Museu, a visita está sujeita a lotação máxima e a pré-inscrição. Nota - Necessária inscrição prévia até às 12h00 da 5.ª feira anterior à atividade. Evento sujeito a regras de lotação máxima, no âmbito do cumprimento de recomendações das autoridades de saúde.

Matryoshka

21/11/2020

5 €

Em 2019, quatro elementos de origens diversas, João Guimarães (sax alto), Filipe Dias (guitarra), Pedro Molina (contrabaixo) e Antón Iglesias (bateria) assumem o comando desta viagem astral pelo seu universo composicional. Este quarteto colaborativo nascido no Porto e enraizado na tradição do jazz, procura difundir a sua visão sobre o que já existiu e o que virá, sem perder o foco no momento presente.

Supertaça da UEFA 1987

24/11/2020

Há 33 anos, na cidade de Amesterdão (Holanda), Rui Barros foi o ‘Rato Atómico’ que colocou os Dragões na rota da conquista da Supertaça Europeia. Em Portugal, o troféu só pode ser admirado no Museu FC Porto. Neste dia tão especial, descubra a história azul e branca e assista, no Auditório Fernando Sardoeira Pinto, ao jogo da primeira mão da edição de 1987 da prova da UEFA, entre o FC Porto, então campeão europeu em título, e o Ajax. Além disso, marque já na sua agenda: a 13 de janeiro próximo, veja ou reveja no Museu FC Porto o jogo da 2.ª mão e a festa do título!  Nota - Evento sujeito a regras de lotação máxima, no âmbito do cumprimento de recomendações das autoridades de saúde.

A Virgem Doida – Este é o meu Corpo

Até 25/11/2020

10 €

Este é o Meu Corpo unifica quatro decisivos solos de Mónica Calle e desenha um arco temporal de 28 anos. Neste gesto, a criadora e intérprete revisita, questiona e atualiza um corpo de trabalho, sondando o seu devir. Um corpo físico, pessoal e artístico, mas também um corpo coletivo, sempre construídos em relação com os outros, trabalhando a palavra, palavra feita corpo. A Virgem Doida (1992), com texto de Rimbaud, foi o solo-estreia de Mónica Calle e da estrutura que fundou, a Casa Conveniente, centelha inaugural de um teatro íntimo e cúmplice.

Tiago Nacarato

25/11/2020

15 €

Tiago Nacarato encerra o ano na Casa da Música, celebrando simultaneamente o lançamento de Lugar Comum, o seu álbum de estreia. O cantautor portuense tem conquistado o público com a sua voz, contando já com um percurso invejável que inclui salas esgotadas em Portugal e no Brasil. Para esta noite estão garantidos sucessos como “A Dança” ou “Só Me Apetece Dançar” e ainda convidados especiais: Bárbara Tinoco e Salvador Sobral.

Alma

Até 29/11/2020

10 €

Durante quatro dias, o Teatro Carlos Alberto dá a ver o trabalho dos quatro criadores de A Turma, coletivo que nasceu no Porto em 2008. É uma montra ou mostra condensada no tempo e no espaço, com sessões contínuas em horários distintos, onde evoluem, no interior de um ambiente cénico pensado pela cenógrafa Ana Gormicho, três espetáculos criados por Tiago Correia, Manuel Tur e António Afonso Parra. Distinguida com o Grande Prémio de Teatro Português SPA 2018, Alma é uma peça sobre a juventude onde o dramaturgo Tiago Correia ergue, com uma linguagem tão poética quanto coloquial, um universo pontuado pela solidão e a possibilidade de confiança na amizade e no amor.

BITCHO

Até 27/11/2020

9 €

BITCHO é uma figura ambígua, meio ancestral, com um híbrido folk, que dá corpo a um animal feminino. Celebra-se o hoje por meio de spoken word, refletindo-se sobre o mundo, a atualidade, contrapondo-se com textos mais surrealizantes e dadaístas. O novo projeto é a incorporação tentacular dos vários bitchos que surgiram ao longo dos anos. Em conformidade com o público, foram-se criando rituais libertários com humor e ironia. Numa relação orgânica com o que a rodeia, a personagem mutável constrói-se a partir de uma estrutura sonora, visual e textual. Cada elemento é trabalhado como forma de abrir o projeto a outras camadas de sentido, sempre em equilíbrio e harmonia para a criação de um novo corpo identitário. Uma apresentação imersiva onde se joga com o digital e a crueza de meios. Um corpus liminar que remete para o tradicional e recria o seu sentido na contemporaneidade, por meio da patafísica e do nonsense. — Susana Chiocca

Candlelight

Até 26/11/2020

15 €

Os concertos Candlelight trazem a música clássica vivida da forma mais apaixonante. Desfruta de "As Quatro Estações" de Vivaldi no Ateneu Comercial do Porto, interpretado por um trio de cordas à luz das velas. Garante já os melhores lugares. Peças em destaque: • Seleção de As Quatro Estações - A. Vivaldi • Seleção de Variações Goldberg de Bach • O Quebra-Nozes de Tchaikovsky • Eine kleine nachtmusik de Mozart • Sinfonia n. 7 de Beethoven • Marcha Turca de Beethoven Vive esta experiência única. Descobre Candlelight: a música clássica num ambiente íntimo e mágico.

Airbnb e Nuvens: uma rádio novela

Até 29/11/2020

10 €

Durante quatro dias, o Teatro Carlos Alberto dá a ver o trabalho dos quatro criadores de A Turma, coletivo que nasceu no Porto em 2008. É uma montra ou mostra condensada no tempo e no espaço, com sessões contínuas em horários distintos, onde evoluem, no interior de um ambiente cénico pensado pela cenógrafa Ana Gormicho, três espetáculos criados por Tiago Correia, Manuel Tur e António Afonso Parra. Em Airbnb e Nuvens: uma rádio novela, o encenador Manuel Tur expõe em palco a mecânica da comunicação radiofónica, os seus artifícios, recursos e métodos. Uma “rádio novela” sobre um país falido, alugado e com a mania das grandezas (sim, Portugal), escrita pela mão sarcástica de Luísa Costa Gomes.

Mussorgski Orquestrado

27/11/2020

7.5 €

O poder de sedução do violino atravessa irresistivelmente Tzigane de Ravel, uma peça repleta de exigências para o solista e que se revela como uma visita aos grandes virtuosos românticos. A rapsódia chega-nos pelas mãos de Martyn Jackson, membro recente do mais antigo ensemble de câmara britânico, o prestigiado Allegri Quartet. A noite inicia-se com um mestre da arte da orquestração, Schreker, e uma obra que surpreende pelas sonoridades sinfónicas de grande expressividade que consegue extrair de uma orquestra de câmara. O programa completa-se com uma célebre obra russa que, embora escrita para piano, tem uma capacidade de sugestão tão forte que deu origem a inúmeras orquestrações. Neste museu imaginado por Mussorgski e pintado com um arranjo de Walter Goehr, estão expostos os Quadros de uma Exposição mas também o estado de espírito do visitante que percorre as diferentes salas e se debruça sobre pinturas e desenhos.

CUTLASS SPRING

27/11/2020

12 €

Ela não está presente na pornografia deles. Não a encontramos nos seus erotismos. Ela nem sequer faz parte do seu próprio mundo de fantasia. CUTLASS SPRING é o que sexo pode significar para mim neste momento. Deambularei dentro de uma questão: como poderei identificar a minha identidade sexual no seio de uma multiplicidade de identidades complementares e aparentemente contraditórias – enquanto intérprete, mãe, filha, amante, estranha? Traçarei uma educação sexual – com todas as suas encarnações, fabricações e dissociações. Seguirei essa trajetória até à forma menos explícita de pornografia, para descobrir o que refreio e o que tornou explícito. Ela venderá o corpo e todas as muitas coisas que fazem parte da sua pessoa. Ela dar-se-á conta do que fica nela para contemplação sexual. Avançando gradualmente em direção à ausência de censura, envolvendo o potencial infinito dos objetos quotidianos, CUTLASS SPRING é simultaneamente um manifesto e uma reflexão acalorada, uma etnografia da compreensão sexual e uma arqueologia do desejo. — Dana Michel & Michael Nardone

Rua de Sentido Único - Este é o Meu Corpo

Até 29/11/2020

10 €

Este é o Meu Corpo unifica quatro decisivos solos de Mónica Calle e desenha um arco temporal de 28 anos. Neste gesto, a criadora e intérprete revisita, questiona e atualiza um corpo de trabalho, sondando o seu devir. Um corpo físico, pessoal e artístico, mas também um corpo coletivo, sempre construídos em relação com os outros, trabalhando a palavra, palavra feita corpo. Rua de Sentido Único (2002), monólogo de viragem, iniciou uma nunca acabada demanda sobre o lugar e o papel do espectador.

Wake Up

Até 29/11/2020

10 €

Durante quatro dias, o Teatro Carlos Alberto dá a ver o trabalho dos quatro criadores de A Turma, coletivo que nasceu no Porto em 2008. É uma montra ou mostra condensada no tempo e no espaço, com sessões contínuas em horários distintos, onde evoluem, no interior de um ambiente cénico pensado pela cenógrafa Ana Gormicho, três espetáculos criados por Tiago Correia, Manuel Tur e António Afonso Parra. António Afonso Parra, na companhia de Luís Araújo, apropria-se de Wake Up And Smell The Coffee, um monólogo de Eric Bogosian. De um processo de reescrita, adaptando-o a outros horizontes geográficos, resultou Wake Up, radical abreviatura do título original. Como se nos dissessem, ou gritassem, que o predatório american way of life é há muito património universal…

Gambozinos À Solta! com Rui Ramos

28/11/2020

5 €

Rui Ramos sobe ao palco do auditório do Museu FC Porto e vai atrás dos Gambozinos à Solta e dos segredos da magia numa aventura cheia de peripécias e muito divertida. Sob a batuta engenhosa, performativa e do anfitrião, contos e arte mágica cruzam-se num espetáculo dirigido a crianças, mas para participar em família, porque no universo fabuloso das Histórias para Dragõezinhos, até os adultos se divertem a valer! NOTA - Evento sujeito a regras de lotação máxima, no âmbito do cumprimento de recomendações das autoridades de saúde.

Porto SPA Week

29/11/2020

45 €

Energia, equilíbrio e bem-estar. São estas as palavras chave na primeira edição da Porto SPA Week, uma iniciativa que reúne sete unidades de SPA e Wellness Center de alguns dos hotéis mais emblemáticos da cidade Invicta. Com mais de duas dezenas de tratamentos disponíveis, com um desconto até 50%, a Porto SPA Week decorre entre 29 de novembro e 6 de dezembro. Boeira Garden Hotel Porto Gaia, Curio Collection by Hilton, Hotel Solverde SPA & Wellness Center, Maison Albar Hotels – Le Monumental Palace, Pestana Pousada do Freixo, Porto Palácio Hotel & SPA, Sheraton Porto Hotel & SPA e Vila Foz Hotel & SPA. São estas as unidades hoteleiras parceiras desta iniciativa inédita na região Norte. Cada um dos seus SPA e Wellness Center preparou uma seleção especial de tratamentos de assinatura para o evento, que inclui três opções: facial (de 75 minutos), massagem (de 60 minutos) e ritual (de 90 minutos). Dos tratamentos disponíveis, encontram-se, por exemplo, um ritual para equilibrar os cinco órgãos sensoriais, com técnicas de acupressão para libertar tensão acumulada; uma massagem de bambus, que promove a circulação e a desintoxicação do organismo; ou um tratamento facial, que é um “convite” a um passeio por um jardim de rosas ou um booster de imunidade para o corpo e alma. Estas são apenas algumas das propostas dos Spas envolvidos na iniciativa, que pretendem oferecer uma experiência personalizada a todos os clientes. Em alguns casos é ainda possível, criar a própria experiência de aromaterapia – com a combinação de infusões de óleos essenciais, pedras aquecidas e técnicas terapêuticas – ou adaptação dos produtos utilizados de acordo com a idade e tipo de pele. Entre os dias 29 de novembro e 6 de dezembro vai ser ainda possível adquirir vouchers de oferta em cada unidade hoteleira, válidos durante 6 meses e apenas na unidade de SPA e Wellness Center de cada hotel.

Musica com Dragõezinhos - O Espetáculo

29/11/2020

10 €

“Lua” & “Estrelas” com Trupe Sons em Cena O regresso de Música com Dragõezinhos ao Museu transporta para o Auditório Fernando Sardoeira Pinto o ambiente rico das sessões que são uma referência na programação para famílias na cidade do Porto, desde 2013. As histórias contadas e cantadas, assim como os sons, são elementos de magia, conhecimento e sociabilização num espetáculo performativo, com a qualidade reconhecida do evento reforçada por novas formas de interação entre personagens e público. Como sempre, a experiência é conduzida pelo Indy e dirige-se a todas as crianças até aos 4 anos de idade e respetivos acompanhantes (bilhetes à venda no Museu e através da TicketLine). O evento é uma organização do Museu FC Porto em parceria com a Trupe Sons em Cena, sujeito a regras de lotação máxima.  Nota - Evento sujeito a regras de lotação máxima, no âmbito do cumprimento de recomendações das autoridades de saúde.

Quadros de uma exposição

29/11/2020

7.5 €

Quadros de uma Exposição de Mussorgski é uma das grandes obras-primas da música russa e, sendo uma peça favorita do grande público, constitui a mais célebre orquestração que Ravel fez de obras de outros autores. Partindo de sugestões das pinturas e desenhos do pintor Viktor Hartmann, ali se encontram figuras mitológicas como o gnomo que corre com as pernas deformadas ou a bruxa Baba-Yaga. Elemento distintivo desta obra é a Promenade, que nas suas várias versões representa o caminho que o visitante da exposição percorre entre diferentes quadros ou salas do museu imaginário. Neste concerto comentado, Rui Pereira conta as histórias fantásticas por detrás das imagens e da música.

Olá, Eu sou o Pai Natal

29/11/2020

Inspirado pelas experiências de personificação do Pai Natal nas animações dos centros comerciais, o encenador Tiago Barbosa decidiu brincar com o impossível, escrevendo uma mentira que troca as voltas às nossas crenças natalícias. Colocar o Pai Natal perante uma plateia adulta não é nada que não aconteça anualmente em muitas casas na noite de 24 de dezembro, quando alguém se mascara e aparece de fugida a largar presentes junto à árvore. Acreditam as crianças, mas os adultos não. Em Olá, Eu sou o Pai Natal a descrença é banida e o Pai Natal entra pelos olhos e ouvidos de quem se senta na plateia. É mesmo ele, o Pai Natal ator, o verdadeiro, que se perdeu do Pólo Norte e de si, e a quem devemos todos os presentes.