Feira de Vandoma

Até 31/12/2021

Uma das feiras mais emblemáticas da cidade, destina-se exclusivamente à venda de objetos usados, designadamente roupas, louças, mobiliário e artigos decorativos, discos, livros, aparelhos elétricos e/ou eletrónicos, utensílios domésticos e de trabalho (ferramentas). Localização: Avenida 25 de abril

Dias com Energia

Até 30/09/2021

Estão de regresso as sessões gratuitas de pilates, ioga e tai chi. O Dias com Energia vai já assumir o seu habitual horário de verão. Aos sábados de manhã levará aulas de pilates, ioga e tai chi aos jardins do Palácio de Cristal e ainda sessões de duas dessas modalidades, de modo rotativo, aos parques da Pasteleira e Oriental. Aos domingos, como é tradição, haverá tai chi e método DeRose no Parque da Cidade. Isto sempre que o clima permitir, claro. Todas as atividades são planeadas e orientadas por profissionais de educação física e são abertas a participantes de qualquer idade, embora não seja recomendável a grávidas, pessoas com mais de 60 anos ou com doenças crónicas. Para se inscreverem devem enviar um email para desporto@agoraporto.pt indicado o vosso nome e programa, local e aula pretendidos.

Atravessar a Fronteira - Os novos babilónios

Até 21/11/2021

O conceito ‘Novos babilónios’ foi desenvolvido por Guy Debord, Constant Nieuwenhuys, Har Oudejans e Pinot Gallizio a partir do projeto situacionista New Babylon e está relacionado com algumas das ideias fundamentais que informaram o movimento – como a psicogeografia, a deriva, o urbanismo unitário. É a partir deste conceito que o artista e curador Pedro G. Romero propõe para a Galeria Municipal do Porto um exercício de questionamento da nossa perceção das vidas de grupos nómadas, etnias ciganas, flamencos e exilados libertários. A exposição constitui uma análise ao campo sensível destas formas de vida com um foco particular nos seus deslocamentos pela América, África e outros arquipélagos atlânticos. A cidade do Porto atua como geografia de partida para uma indagação de rotas, fluxos e derivas destes ‘novos babilónios’ a partir do contexto português e seus territórios fronteiriços.

Deslaçar um tormento

Até 19/09/2021

12 €

Esta grande exposição dedicada ao trabalho de Louise Bourgeois (Paris, 1911, Nova Iorque, 2010) cobre um arco temporal de sete décadas, dando a ver obras realizadas pela artista entre finais dos anos 1940 e 2010. Visitada e revisitada em inúmeras exposições realizadas durantes as últimas décadas em diversos espaços museológicos do mundo inteiro, a vasta e singular obra de Louise Bourgeois lida com temas indelevelmente associados a vivências e acontecimentos traumáticos da sua infância – a família, a sexualidade, o corpo, a morte e o inconsciente –que a artista tratou e exorcizou através da sua prática artística. Esta exposição é organizada pela Fundação de Serralves — Museu de Arte Contemporânea e o Glenstone Museum, Potomac, Maryland, EUA, em colaboração com The Easton Foundation, Nova Iorque, e coproduzida com o Voorlinden Museum & Gardens, Wassenaar, Países Baixos. To Unravel a Torment tem curadoria de Emily Wei Rales, Diretora e cofundadora do Glenstone Museum. Em Serralves, a exposição foi organizada por Philippe Vergne, Diretor do Museu, com Paula Fernandes, Curadora. Esta exposição contou com o generoso apoio de Hauser & Wirth Gallery.

Alberto Giacometti – Peter Lindbergh. Capturar o Invisível

Até 24/09/2021

14 €

“Se me perguntassem quais foram os cinco dias mais bonitos da minha vida, aquele com as esculturas de Giacometti seria certamente um dos primeiros três”. Foi assim que Peter Lindbergh descreveu o dia em que foi convidado a fotografar o espólio de Alberto Giacometti, na Fundação do artista em Paris. O resultado deu origem a uma exposição conjunta, das esculturas de Giacometti e das fotografias de Lindbergh. É esta exposição que agora chega ao MMIPO – Museu e Igreja da Misericórdia do Porto. Até agora, esta exposição conjunta apenas foi exposta no Instituto Giacometti em Paris. É um diálogo íntimo entre a obra de Alberto Giacometti (1901 – 1966), um dos mais aclamados escultores do séc. XX e a fotografia de Peter Lindbergh, que desvenda uma notória similitude na forma como representam a realidade. Esta iniciativa é também um tributo ao lendário fotógrafo de moda que morreu prematuramente em setembro de 2019 e que esteve totalmente envolvido no processo de trazer a exposição para o Porto. A exposição acolhe mais de 110 obras, incluindo esculturas em bronze e desenhos de Alberto Giacometti, bem como fotografias de Peter Lindbergh à coleção. Numa sala exclusiva, estarão em exibição alguns dos mais icónicos retratos da carreira do fotógrafo de moda, entre os quais os protagonizados por Naomi Campbell, Uma Thurman e Julianne Moore.

Jorge Molder

Até 03/10/2021

Esta exposição, apresentada no mezanino da Biblioteca de Serralves, reúne uma seleção de obras de Jorge Molder (Lisboa, 1947) feita a partir de um conjunto mais vasto existente no acervo de Serralves. São apresentadas fotografias das séries “T. V.” (1995), “La Reine vous salue” (2001), “Tangram” (2004/08), “Call for Papers” (2013) e ainda “Zizi” (2013). O trabalho de Molder é conhecido sobretudo pelas suas fotografias a preto e branco, em que o artista se autofotografa (apenas o rosto, corpo inteiro ou as mãos) vestindo habitualmente fato escuro e camisa branca, ideia que é contrariada pelas duas séries mais recentes. As referências provenientes da literatura, do cinema, da música ou da história da arte, bem como o quotidiano, vida e a sua natureza incerta e imprevisível, são fundamentais na sua obra, na medida em que podem constituir o ponto a partir do qual se pode derivar e construir algo. Neste sentido, e pelo facto da exposição ter lugar na Biblioteca, a mostra é complementada com um conjunto de referências bibliográficas importantes para o artista disponíveis para consulta e com a apresentação de alguns dos seus livros e catálogos de exposições.

Livraria Lello X Time: What Makes a Nobel?

Até 31/12/2021

A livraria Lello, inaugurou um projeto "inédito" com a revista Time, que destaca autores laureados pela academia sueca que foram capa da revista norte-americana. A instalação artística "Livraria Lello X Time: What Makes a Nobel?", assinada pelo diretor criativo da Time, D.W. Pine, destaca autores que receberam o Nobel, mas também outros que "mereceram honras de primeira página" na Time devido "ao valor `nobelizável` da sua literatura". A instalação é composta por 12 painéis, nos quais constam capas da revista Time, desde Rudyard Kipling, um dos primeiros Nobel da Literatura, a Toni Morrison, galardoada pela Academia Sueca em 1993, bem como outros autores que mereceram destaque de primeira página, como Virgínia Woolf e William Shakespeare.

Ai Weiwei: Entrelaçar

Até 09/07/2022

12 €

Ai Weiwei (Pequim, 1957) é um cidadão global, artista, pensador e ativista que recorre na sua obra a vários modos de análise e produção, dependendo do rumo e dos resultados da investigação que o ocupa no momento. Desde as posições iconoclastas perante a autoridade e a história — que incluíram o tríptico Dropping a Han Dynasty Urn [Deixando cair uma urna da Dinastia Han], 1995, e uma série de fotografias intitulada Study of Perspective [Estudo de perspetiva], (1995 - 2011), em que mostra o dedo do meio a símbolos do poder — a sua produção diversificou-se, passando a abranger arquitetura, arte pública e performance. Para além de considerações de forma e de protesto, atualmente Ai Weiwei mede a nossa existência segundo a relação com as forças económicas, políticas, naturais e sociais, unindo destreza oficinal e criatividade conceptual. Símbolos universais de humanidade e comunidade, como bicicletas, flores ou árvores, assim como os eternos problemas de fronteiras e conflitos são reformulados e potenciados através de instalações, esculturas, filmes e fotografias, ao mesmo tempo que continua a pronunciar-se publicamente sobre questões que acredita serem importantes. Ele é uma das mais proeminentes figuras culturais da sua geração e um exemplo da liberdade de expressão, tanto na China como internacionalmente. As obras em exposição — Iron Roots [Raízes de ferro] (2019) e Pequi Tree [Pequi vinagreiro] (2018 - 2020) — fazem parte de um corpo de trabalho que reflete o interesse e a preocupação de Ai Weiwei com o ambiente e, mais especificamente, com a desflorestação da Mata Atlântica brasileira. A exposição em Serralves, foi concebida especificamente para o Parque e para a sala central do Museu.

Azul e Ouro

Até 31/10/2021

5 €

Azul e Ouro – Esmaltes em Portugal da Época Medieval à Época Moderna O Museu Nacional Soares dos Reis inaugurou a exposição Azul e Ouro – Esmaltes em Portugal da Época Medieval à Época Moderna, dedicada em exclusivo e pela primeira vez em Portugal ao esmalte artístico. A exposição uma das peças «fundadoras» da coleção do Museu, uma série de 26 placas de esmalte pintado no século XVI, proveniente do Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, para reunir e confrontar de forma inédita várias técnicas de esmalte aplicadas num conjunto sumptuoso de objetos litúrgicos, devocionais e de aparato. As peças que serão expostas foram produzidas entre os séculos XII e XIX, sobretudo nas oficinas da região de Limoges, reconhecidas como as de maior prestígio. São diversas as representações desta singular e exigente técnica de ornamentação como é o esmalte. A mostra trará ao Porto vários tesouros nacionais, entre os quais o tríptico da Paixão de Cristo do Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo, uma das peças em esmalte existentes no nosso país com maior reconhecimento internacional. A exposição “Azul e Ouro” inclui, igualmente, outras peças de grande prestígio como dois cofres da Sé de Viseu, peças do século XII cobiçadas pelo mercado ilícito de antiguidades, roubadas em 1980 e encontradas anos mais tarde em Milão numa ação conjunta da Polícia Judiciária e da Interpol, ou uma placa de encadernação de finais do século XII, princípios do século XIII, encontrada acidentalmente numa escavação entre Leiria e o Mosteiro da Batalha. A última secção da exposição é dedicada aos revivalismos, às réplicas e à contrafação que se produziram em ampla escala por toda a Europa, ao longo dos seculos XIX e XX, encantando e ludibriando o olhar dos conservadores de museus e colecionadores privados na Europa e nos Estados Unidos.

Errata - Uma Revisão Feminista à História do Design Gráfico Português

Até 24/10/2021

O Museu da Cidade inaugura a exposição “Errata – Uma Revisão Feminista à História do Design Gráfico Português”. Com curadoria de Isabel Duarte e Olinda Martins, a mostra pode ser visitada no Foyer do Auditório da Biblioteca Municipal Almeida Garrett. Esta exposição procura fazer uma revisão sobre o papel das mulheres na história do design. Um projeto de investigação em desenvolvimento que pretende dar resposta a este “esquecimento” através de publicações, podcasts e apresentações públicas. A exposição apresentará o trabalho de mulheres designers do século XX que estão ausentes na história do design português e, ao fazê-lo, lançará um olhar crítico sobre os mecanismos ainda presentes que consentem e propagam essas omissões. A partir da recolha, documentação e apresentação dos trabalhos de designers gráficas, a exposição irá mostrar mulheres que ficaram à margem da história do design. Uma “errata” para corrigir uma omissão presente na história do Design.

Quando a Terra Voltar a Brilhar Verde para Ti

Até 27/02/2022

“Quando a Terra Voltar a Brilhar Verde para Ti”, exposição que “rouba” o título a um verso do poeta alemão Hölderlin, também usado pela dupla de cineastas Jean Marie Straub e Danièle Huillet para o seu filme sobre a morte do filósofo grego Empédocles. No local poderá ser apreciado o famoso Herbário de Júlio Dinis em diálogo com desenhos e esculturas de artistas como Rui Chafes, Ilda David, Teixeira de Pascoaes, Manuel Rosa e Lourdes Castro. Há ainda pinturas murais de José Almeida Pereira, realizadas a partir de obras de artistas ligados ao imaginário romântico, e uma composição sonora original de Jonathan Uliel Saldanha e Pedro Monteiro.

A Varinha Quebrada!

18/09/2021

5 €

Uma varinha quebrada perde toda a magia. Ou talvez não… Depende de quem a usar, dizem uns; nem por isso, dizem outros. Para acabar com estas dúvidas, temos a certeza de que o auditório do Museu Futebol Clube do Porto é o lugar certo! Sob a batuta engenhosa e performativa de Rui Ramos, esta é mais uma História com Magia para Dragõezinhos dirigida a crianças, mas sem esquecer os mais velhos… O evento é pensado para a participação em família, pois neste universo de encantar, até os adultos se divertem a valer!

Urban Market - O Regresso

Até 19/09/2021

Setembro chegou, e com ele trouxe o Urban Market. Setembro tem uma luz própria, um sentimento único de reinvenções e recomeços. Este ano vai ter um sabor especial, é o regresso após um ano e meio de dúvidas e incertezas. Que seja um bom recomeço para todos. O Urban Market volta a uma casa que nos acolhe há quase 10 anos, desta vez, com duas edições no bonito mainfloor do Hard Club. No fim de semana de 18 e 19 de Setembro ocupamos o emblemático mainfloor do Hard Club. Entre as 11h e as 19h aproveite a esplanada, ouça boa música, e ainda apoie marcas portuguesas como: Greg Scarf, Ana Barroso Artesanato Sango, A Pimenteira, Ana Siqueira. Respeitando as regras impostas pela DGS, visitem-nos e tragam a vossa melhor máscara.

Leonardo da Vinci – Observa, Questiona e Experimenta

Até 06/10/2021

Se de todas as coisas que admiramos de Leonardo da Vinci tivéssemos de destacar uma, talvez fosse a capacidade de antecipar-se ao seu tempo, em praticamente tudo o que fazia. Pintura, engenharia, anatomia, geometria e botânica são apenas algumas das disciplinas nas quais a sua marca ainda perdura e que, mais de 500 anos volvidos, estimulam a nossa imaginação… Aproximar o pensamento de Leonardo da Vinci e a sua atitude perante a vida para fomentar a curiosidade, o espírito crítico e o desejo de saber através da observação e das experiências constituem alguns dos objetivos desta exposição itinerante, que poderá ser apreciada a céu aberto, na Praça de Gomes Teixeira ("Praça dos Leões"), entre 8 de setembro e 6 de outubro. Esta experiência de descoberta, com base na essência do seu pensamento, transportado para os nossos dias, é o mote de “Leonardo da Vinci – Observa, Questiona e Experimenta”. Além de maquetes em escala de algumas das suas criações, o público poderá observar ainda e interagir com alguns dos engenhos concebidos por da Vinci através de experiências interativas e com recurso a realidade aumentada.

Porto Legends - The Underground Experience

Até 31/10/2021

12 €

"Porto Legends: The Underground Experience" é um evento audiovisual que vai dar a conhecer dez lendas relacionadas com a história da cidade do Porto. O espetáculo será apresentado nas Furnas da Alfândega do Porto. A mais recente criação do ateliê português OCUBO, especialista na realização de projetos de vídeo mapping, estreia nas Furnas da Alfândega do Porto. O espetáculo vai dar a conhecer, através de uma experiência imersiva, dez lendas relacionadas com a história da cidade do Porto, inspiradas no livro do historiador Joel Cleto, "As Lendas do Porto". O projeto Porto Legends - The Underground Experience contou com 70 atores, 120 figurinos e 30 artistas de vídeo, recorrendo a 50 projetores de vídeo de alta definição, estrategicamente instalados nas paredes, no chão, nos tetos, nas colunas e nos arcos das Furnas da Alfândega do Porto. As dez lendas que constituem o espetáculo são narradas por Pedro Abrunhosa, na versão portuguesa, e pelo galardoado ator britânico Jeremy Irons, na versão inglesa. Ao longo de 45 minutos, serão contadas lendas como as de Pedro Cem, Zé do Telhado, Barrão Forrester, as famosas tripas à moda do Porto, o mistério do Tesouro da Serra do Pilar; o violento Cerco do Porto, o Terramoto de 1755 ou a do fantasma da Estação de São Bento. O público é convidado a circular livremente durante o espetáculo, numa experiência de 360º inédita a nível mundial. Porto.CARD - A NÃO PERDER! Aproveite o Porto.CARD e tenha descontos nas entradas: Bilhete Inteiro: 2€ de desconto / Pack de duas exposições: 3€ de desconto Bilhete reduzido: 1€ desconto /Pack de duas exposições: 1,5€ de desconto

O desenho da vida na obra de Manuel Marques de Aguiar

Até 30/09/2021

3 €

A obra de Manuel Marques de Aguiar configura um contributo singular no contexto da produção arquitetónica e urbana nacional. Ao criar lugares efetivos na melhoria das vivências humanas, Marques de Aguiar acolhe e partilha o tempo como elemento mediador do espaço, quer nas respostas imediatas quer nas intenções de longo prazo. Esta relação entre a mudança das vivências e os processos de apropriação da arquitetura sintetiza-se na criação e construção de lugares que resgatam valores sobre os quais importa voltar a olhar, em que o pensamento crítico é inerente a um entendimento da construção colaborativa do território. A exposição O desenho da vida na obra de Manuel Marques de Aguiar, com curadoria de David Leite Viana, revela projetos, desenhos e memórias de um intenso processo de pesquisa, às vezes intuitivo, outras vezes sistemático, orientado para a definição de valores e prioridades de transformação do espaço. Patente ao público na Casa-Atelier Marques da Silva até 30 de setembro de 2021, esta é a primeira exposição realizada após a doação do acervo de Manuel Marques de Aguiar à Fundação Marques da Silva. A mostra, desenvolvida com o apoio da família, abrange um largo arco temporal, que se inicia com registos do seu tempo de formação em Paris, na década de 50, e se prolonga até aos primeiros anos do século XXI.

BITCHO - às escâncaras

Até 18/09/2021

7 €

Há uma visceralidade inquietante e encantatória no BITCHO. Um ser híbrido que engole a própria condição mutante e a expele em espasmos bárdicos e xamânicos. Há uma universalidade agregadora e metamórfica no BITCHO. Uma besta que é gente, a circular entre aspereza e fragilidade, entre sensualidade e repulsa, entre palavras e imagens de outro tempo-hoje. Ancestralidade tornada encontro no meio do caminho de todos os caminhos. Rastos tornados corpo fragmentado e uno. Há um BITCHO que canaliza murmúrios e êxtases. Como se fossem pele. Como se fossem carne. Como se fossem osso. Há um osso que assusta a alma e a acorda em sobressalto. Um osso humanoide, mestiço, nómada, que transita de ser em ser e prepara uma guerra. Há algo que está antes do artifício, da inteligência enformada – Gisela Leal

A Canção da Terra

18/09/2021

14 €

O vinho tem sido desfrutado e celebrado a par desse outro grande prazer, a música. No programa deste concerto, obras de três grandes compositores austríacos evocam essa ligação de diversas formas. Partindo de uma abertura festiva, com uma famosa valsa de Johann Strauss II, o ponto de chegada é A Canção da Terra, uma das mais originais e fascinantes criações de Mahler. Escrita nos seus últimos anos de vida e inédita por altura da sua morte, a obra situa-se entre os géneros da sinfonia e da canção orquestral e tem como ponto de partida textos derivados de poesia chinesa, que Mahler serve com uma orquestração especialmente imaginativa e refinada. A Orquestra Sinfónica interpreta ainda a rara e originalíssima Der Wein, em que Alban Berg conjuga as heranças de Mahler, o dodecafonismo e uma variedade expressiva profundamente ecléctica.

Paisajes Para No Colorear

18/09/2021

10 €

Na sua sexta edição, o MEXE propõe-se “reinventar a forma de estarmos juntos para vivermos o risco de voltarmos a ser humanos”. O Encontro Internacional de Arte e Comunidade está de volta à cidade e ao Teatro Carlos Alberto, elegendo o “risco” como tema. Ideia que atravessa “Paisajes Para No Colorear” da companha chilena La Re-Sentida, espetáculo que resultou de um longo processo de recolha de depoimentos de mais de cem raparigas vítimas de atos de violência. Em palco, nove adolescentes chilenas partem de casos reais para interpretar o mundo e a brutalidade que testemunharam ou vivenciaram. Compõem o retrato de uma sociedade que interiorizou e normalizou a violência de género, procurando superar as injustiças e desigualdades numa revolução cultural sem precedentes. Com encenação de Marco Layera, estas “Paisajes Para No Colorear” completam-se com “Tenemos Mucho que Decir”, oficina onde o coletivo La Re-Sentida se propõe explorar os mundos subjetivos de cada participante, as suas experiências imediatas, referências, preocupações, necessidades e imaginários. Objetivo? Descobrir, através de expressões teatrais, um suporte de manifestação social e ideológica que possa ser traduzido num contributo efetivo para o grupo de participantes e para a comunidade onde atuam.

Serralves em Luz

Até 17/10/2021

12.5 €

Descubra a grande exposição Serralves em Luz, visitando o Parque de Serralves em horário noturno, a partir das 21h!⁠ O Serralves em Luz, transforma pela primeira vez todo Parque de Serralves numa impactante exposição de luz, proporcionando a fruição noturna deste magnífico espaço através de uma experiência surpreendente. Esta grande exposição ao ar livre apresenta uma enorme dinâmica de luz e cor, criando uma atmosfera mágica que se estende a todo o Parque, dando a descobrir deslumbrantes novas perspetivas em torno deste notável património natural e arquitetónico. Recorrendo a variadas fontes de luz, como o LED, o halogénio, o hmi, o laser ou o vídeo, são criadas ambiciosas experiências visuais e sensoriais que transportam o visitante em diferentes perceções entre o real e o imaginário, construindo-se diálogos estáticos ou em movimento, através de 24 instalações ao longo de um percurso de 3km que atravessa todo o Parque. A introdução da cor, do som e de inovadores efeitos visuais permitem ao público vivenciar o Parque de uma forma muito distinta do seu estado habitual. As instalações luminosas transformam o espaço em ambientes imersivos que nos transportam para as diferentes estações do ano, que permitem a conexão com diversos elementos naturais do Parque – como a água ou a vegetação - e que nos levam a experienciar, de uma forma original, manifestações luminosas da natureza como o sol, a lua, os reflexos, o arco-íris ou as auroras boreais. O surpreendente percurso de iluminações está pensado num formato de sentido único, passando por diversos pontos de interesse do Parque e oferecendo ao público uma viagem sensorial muito variada e completa. Em paralelo a esta grande exposição noturna e ao ar livre, decorrerá um programa de visitas orientadas e de workshops de fotografia, que complementa e realça a vivência das diferentes dimensões em presença: luz, natureza, arte e arquitetura. Visite o Serralves em Luz e desfrute de uma noite verdadeiramente deslumbrante, em total segurança.

Visitas Noturnas Orientadas – Serralves em Luz

Até 16/10/2021

2.5 €

A Grande Exposição Serralves em Luz convida à contemplação do património natural, paisagístico e arquitetónico existente no Parque de Serralves através da experienciação de um conceito criativo assente num ambicioso jogo de luz. Participe numa programação específica de visitas orientadas em torno da dinâmica de luz e cor que resulta numa narrativa impactante através de diversas atmosferas e fontes de luz que potenciam novas perspetivas sobre o Parque, numa simbiose única vivenciada in loco. Recorrendo a variadas fontes de luz, como o LED, o halogénio, o hmi, o laser ou o vídeo, são criadas novas experiências visuais e sensoriais que transportam o visitante em diferentes perceções entre o real e o imaginário, construindo-se diálogos estáticos ou em movimento com 24 instalações ao longo de um percurso de 3km que atravessa todo o Parque. A introdução da cor, do som e de efeitos visuais permite ao público vivenciar o Parque de uma forma diferente do habitual. As instalações luminosas transformam o espaço em ambientes imersivos que nos transportam para as diferentes estações do ano, que permitem a conexão com diversos elementos naturais do parque – como a água ou a vegetação - e experienciar de uma forma diferente as manifestações luminosas da natureza como o sol, a lua, os reflexos, o arco-íris e outros efeitos atmosféricos. Obrigatório o uso de máscara.

TIM - 20-20-20

18/09/2021

18 €

"É com alegria e preocupação que encaro este concerto, alegre com o nosso reencontro e preocupado com a responsabilidade duma apresentação no Coliseu do Porto Ageas. Vamos apresentar o 20-20-20 completo com uma cenografia cuidada e mais uns extras… Conto convosco para participarem e nos ajudarem, como sempre, a passar uma noite inesquecível numa sala tão importante como esta. Bom concerto!”