Fonte: O Balcão by Jean Genet, All Rights Reserved

Sobre

“O que há de belo à face da terra é às máscaras que o devemos”

“Gostaria que o mundo mudasse para eu ser contra ele.” Jean Genet viveu num estado de permanente revolta. Para ele, o teatro era um lugar “onde todas as liberdades são possíveis”. O Balcão, a sua obra mais ambígua e mais terrível, joga-se no interior de um bordel de luxo, espaço confinado, asséptico e hipervigiado, atravessado por ecos de uma revolução em curso. É com ela que Nuno Cardoso encerra a sua “trilogia da inauguração”, conjunto de três peças que dão corpo à ideia de um teatro de repertório exigente, intemporal, transfronteiriço. Arrancou com um dos textos matriciais da modernidade teatral (A Morte de Danton, de Georg Büchner) e prosseguiu com a revisitação de um cânone da dramaturgia clássica portuguesa (Castro, de António Ferreira). O Balcão densifica alguns dos temas em circulação, como o poder como claustrofobia, os ocasos das revoluções, as sedutoras vizinhanças entre o sexo e a morte. Comédia erótica, drama metafísico, farsa fúnebre? Barroco e indisciplinado, este Balcão, servido por uma tradução da poeta Regina Guimarães, é avesso a formatações. Ele arrisca-se a ser, como sempre em Jean Genet e como sempre em Nuno Cardoso, o palco da nossa imaginação.

Quando

Sábado, 21 Novembro 2020 10:00-13:00

Sexta-feira, 20 Novembro 2020 19:00-22:00

Quinta-feira, 19 Novembro 2020 19:00-22:00

Quarta-feira, 18 Novembro 2020 19:00-22:00

Terça-feira, 17 Novembro 2020 19:00-22:00

Galeria

  • Preço
    12€-16€
  • Promotor
    Teatro Nacional São João | Jean Genet | Nuno Cardoso
  • Audiência Alvo
    Adultos (19-64)Séniores (>65)
  • Visit Porto

    2020-11-17